Aviso – Gustavo Lacombe

Não posso mais fazer isso. Não é que o problema seja você. Veja bem. De tantas com quem já me deitei, abracei e beijei, você, sem dúvida é a melhor. Aqui eu não quero comparar como cada uma fazia com o jeito tão bom que você tem. É que essa química toda que cresceu e tem pirado meus instintos, adicionado a toda física que nossos corpos produzem tem me feito mal. Eu, logo eu, que nunca fico assim.

Melhor dizer com todas as letras: não se apaixone. Eu não sou bom o suficiente pra você. A gente se conheceu não por acaso. Eu já sabia quem você era, já estava de olho e esperei o momento certo. Enquanto isso eu me divertia com outras. Só que não posso fazer isso contigo. Me trata tão bem, me dá tanto carinho que é inaceitável um homem com um histórico feito o meu partir seu coração. Para por aqui. Paremos antes que eu te machuque. 

Pergunte a quem me conhece. Sou da pior espécie, conhecido por conquistar e depois ir embora. Eu sou isso. Isso é um aviso. Corre que ainda é tempo. Essa é a verdade. Vai existir uma hora que você precisará de mim e eu vou falhar. Não vou poder te ajudar, te dar apoio e isso vai acabar contigo. Com a gente. Aliás, eu receio que esse dia esteja perto. Eu tenho medo de faltar pra você.

É, você entendeu certo. Eu tô com medo. Repetindo, logo eu, tão seguro dos meus atos e com o currículo invejável, morro de medo de não ter mais seus olhos, seus carinhos. Seguir nessa estrada sozinho vai ser o castigo imposto a quem já tanto maltratou o sentimento que é dado de coração por alguém e não sabe cuidar. Se você ajeitar seu amor em minhas mãos, tenho medo de deixar cair, quebrar. O seu não. Eu não quero a responsabilidade de ter que lidar com essa culpa. Das ostras eu nem pena tive. De você, eu quero levar só as lembranças boas. Foge.

Fala pra mim que esse defeito meu tem cura? Você me salva? Talvez, a gente só precise de uma chance a mais. Uma chance para ser aproveitada devagar. A primeira vez que eu te vi abraçada com um amigo senti que tinha algo de diferente. Desde aquele dia eu venho ensaiando esse discurso e pensando na saída para isso tudo. E, realmente, pensando bem, eu não vou conseguir ficar longe de você. Sou egoísta, admito. Quero você só pra mim.

Mas foge, amor! Foge enquanto é tempo. Vai que eu não consigo te fazer bem? Vai que a minha insegurança em relação a nós se confirma? Logo eu, tão seguro das atitudes diante de uma mulher. Mal sei explicar o que é isso. Se você estiver disposta a ver até onde nosso caso pode ir, a gente tenta. Por favor, não se apaixone como eu já estou apaixonado.

Anúncios