Felizes Para Sempre

O mundo não é um conto de fadas. Desista. Histórias com felizes acontecem aos montes, mas todas tem os seus problemas e, pode ter certeza, pelo menos uma vez tiveram uma crise e quase acabaram. Só que há muitas outras que não deram certo. Há pessoas chorando, com o peito doendo e tendo que conviver e seguir com a dor e qualquer certeza de que o dia amanhã será melhor.

Bobagem deixar de acreditar no amor por isso. Enquanto a busca for algo declarado, como um guerra entre os dias que passam iguais e os instantes inacreditáveis que se sonha, pode ser que só exista frustração. Parece que o mundo é contra sua felicidade. Fala sério. Tem coisas muito mais importantes acontecendo a sua volta. Felicidade é complementada com alguém, mas não deve ser algo exclusivo ao fato de se ter alguém.

Detesto o “para sempre”. Como alguns milhões, também torço pra que isso exista. Não vou duvidar de relações em que os dois se conheceram e nunca mais se largaram. Existe, claro. Só que a idéia de que algo é “para sempre” é uma utopia. É preciso dividir a expressão. Pare quando estiver ruim. Será sempre bom enquanto os dois quiserem que seja bom.

Lembrando a você que Príncipe Encantado e Princesas não existem. Esses seres lendários que habitam o imaginário infantil não tem defeitos. Como se sabe, somos todos humanos, falhamos e, quer queira quer não, é preciso conviver com isso. É diferente de dizer que temos cavalheiros e damas, homens e mulheres educadas, pessoas que valem a nossa dedicação.

Final feliz eu não quero ter. Se algo chegou ao final é porque não deu certo. Ou que deu certo até aquele ponto, depois não. Deixo que a vida me traga alguém por quem eu me apaixone e, se tiver que ser, que fique comigo durante todo o tempo que me restar. Só prefiro deixar claro que Príncipes, “para sempres” e “happy endings” são fantasias. O mundo é muito real pra isso.

(Gustavo Lacombe)

Um dos meus textos preferidos da página no Facebook ( http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos )

Anúncios