Mais Gestos, Menos Palavras

Me fizeram acreditar. Eu queria, eu deixei e assim me enganei. Entenda, não estou dizendo que você trapaceou, me sacaneou ou coisa parecida. Só que me fizeram crer numa história que não era verdade. Não por completo. Quem sou eu pra dizer que alguém está ou não apaixonado, está ou não envolvido? Até que me provem o contrário, eu levo fé nas pessoas e suas palavras.

Mas, uma hora, só palavras não convencem.

No segundo seguinte em que eu me apaixonei, eu sorri. Acreditava que estava indo no caminho certo, que era a hora certa, que você era o cara certo. E pode até ser que todos os fatores estivessem apontando pra essa bela palavra: certo. E pode até ser que meus olhos buscassem você toda hora que piscavam e eu me pegava lembrando de algo que me fazia bem. Você me fazia bem. Mas não é tão simples assim.

Não quero mergulhar de cabeça em alguém que tem dúvidas, inseguranças. Claro que isso é normal e temos aos montes, mas eu não quero me entregar a alguém que olha o passado e pensa com carinho e vontade de voltar. Não quero me jogar num relacionamento em que eu não basto para a pessoa com quem estou.

Não quero quebrar a cara.

Poderia te agradecer por ter me mostrado tudo isso a tempo. Tempo de ver o quanto a gente precisa mudar pra ficar junto, tempo de repensar a paixão que nascia, tempo de entender quase que exatamente como você é, tempo para perceber que o que me fizeram acreditar não passava de um esforço temporário.

Você quer me fazer acreditar de novo? Tudo bem. Eu ainda estou aqui. Eu quero estar aqui contigo, mas aviso que vai dar trabalho. Já me provaram o contrário do que você insistia em me dizer. Como eu disse, eu levo fé nas pessoas. Eu levo fé em você e na gente.

Mas, agora, apenas gestos vão me convencer.

(Gustavo Lacombe)

Anúncios