197024_320343874736079_1779530034_n

Foi bom enquanto durou.

Você até que não queria, mas teve fim e cada um seguiu o seu caminho. Inevitável, certo? As pessoas novas foram aparecendo e durante o intervalo que você não soube da outra, tudo foi ótimo. Imagina, você na cama com outro alguém, se lambuzando e ficando acordado até altas horas da madrugada, fica torcendo para que o outro esteja em casa, dormindo e, de preferência, tendo um belo pesadelo.

Engano seu.

Nada, absolutamente nada te garante que isso realmente esteja acontecendo. Só que enquanto você não sabe, foda-se, né? Aliás, é até melhor não ficar sabendo. Você não vai querer saber que ela agora tenta posições que nem no Kama Sutra existem e nem que ele leva todas as outras para o motel mais caro da cidade, coisa que raramente fazia contigo. Seria duro demais saber que coisas novas e mais interessantes do que o relacionamento terminado estão acontecendo.

Entretanto, contudo, todavia, sempre tem uma hora que algo aparece, brota, surge e te dá pistas. Isso quando não diz – descaradamente – o que está rolando na vida do outro. Não importa se você já saiu com uma dúzia. Saber que ela saiu com um ou que está prestes a namorar com alguém, acaba dando um nó na sua cabeça. “Ela não disse que me amava, que queria voltar, que seria pra sempre minha mesmo eu não querendo? Onde foi parar esse amor, meu Deus!?”

Foi pro ralo, galera!

Não, tudo bem. Tem vezes que sobra a admiração e aquela coisa de se esbarrar e fingir ainda serem amigos. Pode até ser que o sexo não seja melhor do que aquele feito por vocês. Pode até ser que, comparando, o novo seja pior que o antigo. Mas, e daí? Esquece esse sentimento de posse, essa coisa de que o outro deveria ficar pra sempre amarrado no seu calcanhar. A vida anda (e deita e rola). Só que, agora, ela não sobe mais na pia do banheiro pra te satisfazer. Ela até se senta lá ainda, mas não pra você.

E ele tem aberto mais a carteira, mas pra impressionar uma mulher qualquer.

Isso passa. Não leve tão à sério as pancadas que essa saudade dá. Pode ser só uma vontade tentando chamar atenção. E é. E passa, já disse. Se rolar um “revival”, aproveita pra tirar a prova de que essa pessoa não é mais nada daquilo que você quer. Quando a vida segue, alguma coisa acaba ficando pelo caminho. Só custamos a acreditar que fomos nós.

Melhor sempre fazer com que seja o outro.

(Gustavo Lacombe)

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos

Anúncios