Cuidado! Esse texto contém ironias!

O Amor é uma utopia por si só. O desejo de sentir algo diferente e estranho no corpo, de se empolgar com a chegada do outro, a busca por aquele olhar no meio do dia ou da mensagem no meio da noite. O querer sem posse, a espera sem sofrimento, a torcida sem ciúme, a distância sem desconfiança, a saudade sem loucura. 

Na teoria é muito lindo. 

Entretanto, vamos aos fatos, o Amor que a gente sente não é tão perfeito assim. Primeiro porque, sendo meu, ninguém mais encosta a mão. Sendo o “meu Amor”, a primeira pessoa que se meter a besta já leva uma chamada pra ficar esperto. Se insistir, aí eu não me responsabilizo. 

Outra coisa é a questão de dar satisfação. Eu quero sempre saber onde ele está. Claro que é normal isso. É segurança. Vai que acontece alguma coisa no caminho? Por favor, né!? Preciso zelar pelo bem-estar das pessoas que amo. Então, ligar e dizer que chegou em casa, que tá vivo, que já voltou do trabalho, que tá indo pra academia, que chegou na academia, que tá saindo da academia, que tá vivo, é normal. 

Não gosto dessa coisa controladora que outros casais tem por aí. Só acho que, quando a gente ama, é claro que a gente cuida. E é esse cuidado todo que me faz sentir saudade e me perguntar o que a outra pessoa tá fazendo que não me responde no Whatsapp. 

O Amor, pessoal, é essa coisa maluca de, no meio do dia, dar uma incerta no trabalho do outro só pra ver o sorriso, dar um abraço e ver se alguém anda se engraçando. O Amor é isso de querer saber exatamente quantas pessoas já passaram na vida do outro e anotar, que é pra poder confrontar os números numa análise posterior. Isso é carinho. E, sendo bem realista, eu mesmo não tenho muita desconfiança. 

Tenho o sério problema de acreditar nas palavras das pessoas, mas peço foto junto. Quem precisa de álibi é a justiça, eu apenas quero poder seguir confiando. Ah, e claro, se alguma coisa acontecer e houver um fim, desejo toda sorte do mundo pra outra pessoa. Sorte, longe. No Camboja. Onde não tenha internet. 

Vai ser feliz pra lá! 

Ainda assim eu acredito que eu não esteja buscando essa utopia amorosa, mas me aproximo dela. Sou carinhoso, atencioso e sei que todo mundo precisa de espaço. E que o GPS consiga rastrear. Amar até que é fácil. Na teoria é lindo. 

A prática é que demanda tempo.

[ Gustavo Lacombe ]

Anúncios