Deixa eu te amar, faz de conta que sou o primeiro…



Não sei qual foi a merda que o último cara que passou na tua vida fez, mas ele foi um idiota. Isso é certo. Te deixou com medo de se entregar, fez com que você se fechasse e, agora, qualquer sinal que o mundo te dê de que é possível, sim, ser feliz, será prontamente ignorado. 

Eu entendi: você quer que eu desista porque seu coração ainda está machucado.  

 
Olha, me desculpa discordar de você, mas, sem falsa modéstia, quero ser a cura pra tudo de ruim que aconteceu contigo. Não vou te prometer ser um cara perfeito, mas vou me esforçar pra te mostrar que o que passou merece ser enterrado. Esquecido. Aliás, é até bom que você traga todas as lições que aprendeu. E, por favor, se eu errar ou chegar perto de fazer algo que te cause mal, me avise.  

 
Temos o problema de fazer algumas coisas e não julgarmos se vamos atingir ou não determinada pessoa. “Achamos” demais às vezes. Não quero esses mal entendidos. Não quero essa distância. Você não vê que, quando estamos longe, a saudade vem confirmar tudo isso que te digo agora? Que a falta só faz gritar mais alto o quão verdadeiro é essa vontade de estar junto? Que estamos apenas no início? Eu quero vir a ser muito, mas quero que você se dê conta disso aos poucos.  

 
Hoje, te mostro apenas a minha disposição para tudo isso. 

Eu não sei qual foi o tamanho da merda que já aprontaram contigo, mas eu vou te fazer passar uma borracha nisso tudo. Não adianta fechar ou tentar isolar o peito. O amor constrói qualquer ponte e derruba qualquer muro. Se eu pudesse te pedir apenas uma coisa, te pediria pra confiar.  

 Deixa eu te amar? 

[ Gustavo Lacombe ]

“Destino, Acaso ou Algo Mais Forte”, meu primeiro livro, pode ser adquirido aqui: http://www.bitly.com/LivroLacombe

Anúncios