sorriso amor

Fico me rindo sozinho aqui no quarto enquanto lembro nós dois. A porta entreaberta parece que de repente se abrirá com você por detrás dela, já me olhando com aquela cara de que sabe o que vai acontecer. Você não tem ideia de quantas miragens eu tenho contigo ao longo do dia. Reflexo de uma saudade que insiste em me abraçar toda vez que você se afasta, eu sou esse cara que olha pro teto e se pega recordando.

E desejando que você estivesse aqui exatamente agora.

Não importa se a gente se viu ontem. Você sabe, meu bem, que nunca se mata o tanto de vontade que se represa. Ainda que eu tenha todo tempo do Mundo pra te amar, um segundo longe já vai bastar pra imaginar que poderia ter sido mais. Ter feito mais. Acho que toda essa vontade é da loucura de se entregar e poder encontrar abrigo na sua reciprocidade.

Já cansei de te ouvir me chamando de bobo com os olhos nos meus. Boca na boca, coroa minha bobeira com um beijo. Me belisca, te escrevo numa mensagem. Diz que é de verdade, peço noutra. E você escreve aqueles “hahaha” seguidos que me fazem querer sua risada ao vivo. Acontece outra miragem e parece que consigo ouvir o som do seu sorriso se abrindo. E fecho os olhos querendo te ver.

De novo, sorrio.

Enfim, levanto. Meu dia começa do mesmo jeito que terminou o outro: pensando em você. Astral diferente, qualquer problema que aparecer vai ser pequeno. E se dizem que acordar sorrindo já um jeito de ganhá-lo logo cedo, é melhor ainda por ter você como motivo.

E, de novo, sorrio.

[ Gustavo Lacombe ]

“Destino, Acaso ou Algo Mais Forte”, meu primeiro livro, pode ser encontrado aqui:
http://www.bitly.com/LivroLacombe

Anúncios