Jogue Suas Mãos Para o Céu e Agradeça

Levanto todos os dias as mãos para o céu e agradeço. Como naquela música antiga que a moça vive me repetindo para ser grato. Algumas canções tem o poder das orações. E fecho meus olhos, me vem o teu rosto, sorrio. Pensar que há quem rode o Mundo inteiro procurando o que temos aqui bem perto. Demos sorte, eu sei. Encontramos um no outro motivos suficientes para seguir em frente e realizar objetivos aos montes, como par. E talvez não exista coisa melhor nesse Universo do que entrelaçar meus dedos com os seus, entrar no seu abraço e me sentir em casa.

Nos braços da Paz.

Ensaio mais alguns clichês no espelho do banheiro e deixo que no canto da boca um sorrisinho se mostre. Sei que, talvez, você revire os olhos e ache graça. Nem todos os dias são de romantismo, mas meu Amor patológico me faz soltar essas pérolas em alguns momentos. Relembro nossa trajetória se ouço alguma música, identifico nos casais de filmes, novelas e afins alguns lances de nós. Fico me perguntando se todo esse ciúme é normal. Se todo esse querer é normal. Se tudo isso que nasceu em nós é normal.

Amar é um dos sentimentos mais primitivos. Não é apenas privilégio dos humanos. E, de novo, lá vou eu conviver com o meu riso solitário ao comparar toda a irracionalidade que pode acontecer com os seres apaixonados. É certo que eu preciso, todo dia, agradecer por viver essa loucura de te pertencer. Se as pessoas (re)descobrissem o quanto é apavorante, estranha e gostosa a sensação de se jogar do precipício e apenas confiar que alguém está lá embaixo, certamente se entregariam mais vezes sem pensar no possível arrependimento.

Apenas pensariam na felicidade.

Feliz mesmo com todos os problemas, que sem dúvida surgirão. Feliz mesmo com os erros, que de qualquer forma aparecerão. Feliz mesmo com os obstáculos, que sem pestanejar apresentarão. Feliz sem a utopia de querer algo redondinho, perfeitinho, bonitinho. Feliz porque são duas pessoas em busca de um bem comum, ainda que encontrem divergências na maneira em fazer, demonstrar e significar esse “bem”. Duas pessoas que, como nós, aprenderam com o apertar da saudade que a delícia do beijo deve ser valorizada.

Que me seja perdoada toda a falta de objetividade e a andança em círculos nesse tão longo espaço só pra dizer três palavras tão curtas, mas imensas em seu sentimento. Eu te amo. E como apenas escrever e/ou falar não são maneiras suficientes de dar vazão ao carrega o coração, todos os dias jogo minhas mãos para o céu e agradeço por te ter. É você quem eu gostaria que estivesse sempre comigo em qualquer lugar, com qualquer sorriso, por qualquer motivo.

[ Gustavo Lacombe ]

Para me ler mais:
http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos
Para me levar pra casa:
http://www.bitly.com/LivroLacombe

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s