A gente insiste porque gosta. E não é um defeito apenas seu ou um desvio de caráter que estou reconhecendo agora. Nada disso. Até hoje eu não vi nenhum amor ser errado. Até isso que você está sentindo agora e fica se repetindo que não pode ter. Todo amor que nasce na gente é certo. O que não é certo é estagnar, não olhar pra frente.

Parar no tempo mesmo, sabe?

Às vezes, uma pessoa pede pra não andar mais do nosso lado e a gente perde o equilíbrio. É normal até. Somos apoio e temos apoio no outro. Usamos as mãos, os olhares, a cumplicidade e toda uma história para servir de base. E o que fica quando não temos mais essa base? Fica a saudade, o Amor que ainda mora no peito e uma puta vontade de sacudir o outro perguntando “por que raios você me deixou??”.

Se não faltava carinho, se não faltava atenção, se não faltava tesão, se não faltava nada… Se eu ainda queria te dar tudo. Por quê? A resposta mais provável é um olhar pro chão e os passos a distanciar o que era tão perto e, agora, se põe tão longe. Não existe culpa. Acontece. Não existe remédio. Essa dor é algo que, por incrível que pareça, cicatriza no tempo. No sereno, no ameno do vento, até no álcool.

Mas aviso: álcool faz arder qualquer ferida ainda mal cicatrizada. Principalmente no coração.

Eu não te quero chorando por alguém que escolheu te deixar chorando. Como eu disse, a gente insiste porque gosta, mas se não há recíproca, não adianta mais. Fala baixinho com teu coração choroso que todo esse mal vai passar. Mesmo que ele não acredite e só enxergue uma saída. Mesmo que ele queira voltar no tempo. Mesmo que ele esperneie. Acalma teu coração e confia na Vida.

Algo melhor sempre há de raiar.

[ Gustavo Lacombe ]

Este e outros 100 textos estão no meu segundo livro.

“O Amor é Para os Raros”, meu segundo livro, pode ser reservado por aqui:
http://www.bit.ly/oAmorÉParaOsRaros

Anúncios