Basorexia

Acontece toda vez que eu te vejo. Eu fico olhando pra sua boca e chego a salivar. Fico pensando besteira e conto até dez pra não te agarrar. Eu não sou tarado, pequena, mas por você me sobe um desejo incontrolável. Você sabe pelo estrago que faço nas suas blusas. Lembra o dia que cheguei a estourar dois botões daquela camisa? E ainda bem que eu tenho teu passe livre pra matar a minha, a sua, as nossas vontades. Ainda bem que sou eu o dono da boca que pode te beijar. Inteira. Passear por você, te descobrir com demora e paciência. E, não sendo apenas nesses momentos mais nossos que me queima esse fogo, sou também incendiado ao me pegar pensando em você. Você é aquela que, só de pensar, já me deixa à flor da pele. No meio do dia, na rua, na academia, no consultório do dentista. No trânsito. Bato o carro, mas não paro de pensar em nós dois. Na sua boca. No seu beijo. Na sua calcinha descendo ou sendo arrancada. Opa, esse sou eu esbarrando em alguém na rua por estar ocupado lembrando. Sou acometido por “Basorexia”. E, se continuar assim, alguém me interne. Me sinto vivo quando escorro na tua boca. No resto do tempo, sou apenas a espera pelo próximo beijo.

[ Gustavo Lacombe ]

“Destino, Acaso ou Algo Mais Forte”, meu primeiro livro, pode ser encontrado aqui:

http://www.bitly.com/LivroLacombe

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s