Tenho medo. Como qualquer ser humano, como qualquer animal. Sinto medo. Mas, ainda maiores que meu medo são os meus sonhos, isso eu sei. E tudo o que eles querem – e me pedem – é que se tornem reais, palpáveis.

Assim como Pinóquio sonhava ser um menino real e se tornou um, meus sonhos desejam ser também. Acontece que entre o sonho e a realização há uma estrada. Literal ou não. E tenho, claro, medo de me perder ou de que algo ruim aconteça enquanto eu a percorro. Um medo, certas vezes, bobo.

Sei que o caminho é longo, cansativo e chato, mas seria uma merda chegar lá em apenas um instante como bem me lembra Raul. Mas, quer saber… Se algo me abalar, vou rebater com mais fé ainda. Porque sem fé a gente não atravessa nem a rua, quanto mais percorre a estrada de um sonho.

Quem sabe não seja a vida tentando me mostrar que o caminho é mais importante do que o ponto onde se quer parar? Até por que… Nada para. E assim como Raul, “você ainda me pergunta aonde eu quero chegar, se há tantos caminhos na vida”.

Eu só quero caminhar, sem temer mal algum, transformando cada passo sonhado em estrada real.

[ Gustavo Lacombe ]

Texto em parceria com a linda da Isa do @amargoemeio!

“Destino, Acaso ou Algo Mais Forte”, meu primeiro livro, pode ser encontrado aqui: http://www.bitly.com/LivroLacombe

Anúncios