Existem diversos tipos de sexo. Alguns melhores que outros, uns sem graça, e até os divertidos. Ainda assim, de todos os tipos existentes, um dos que mais faz explodir o tesão no casal é o ótimo sexo de “fazer as pazes”. Reconciliação, sabe? É quando, depois de um certo tempo separado, os dois resolvem voltar e tentar mais uma vez.

Não existe nada melhor para a libido que a Saudade.

Tive uma das minhas noites inesquecíveis com ela num dia que a gente, depois de um tempo longe, resolveu voltar. Tínhamos saído, tomado algumas caipirinhas e rido muito. Entenda: voltar é uma decisão que precisa ser encarada de frente. Não se pode deixar arestas ou desacertos com o passado. É preciso seguir em frente e mudar o que antes fazia mal.

Porém, nós dois na cama sempre foi algo surreal.

Aquela noite foi a prova. Chegamos em casa alegres, nos beijando e meio despreocupados se fazíamos muito barulho ou não. Claro que tomamos o mínimo de cuidado para não acordar ninguém na casa e na vizinhança. Lembro que colocávamos o colchão no chão para não deixar que a cama fizesse muito barulho. E ela gemia no meu ouvido apenas.

Fizemos Amor com gosto. A posição preferida dela era a mesma que a minha, mas a gente ia mudando conforme dava na telha. Lembro da cara dela quando me olhava e pedia para eu ir lambendo do queixo dela até lá embaixo. E, também, de como ela pedia pra eu fazer devagarinho. Mesmo depois da separação, parecia que o tempo não tinha passado. Intimidade sempre é o segredo.

E se você me perguntar o que mais me marcava em nós, era o jeito com que ela pedia pra eu soltar todo o peso do meu corpo em cima dela depois do amor feito. Depois do gozo, com os dois dando risinhos um pro outro e as declarações sendo feitas. Suados, acabados e transpirando toda a vontade represada por aquele tempo afastado.

No dia seguinte, sentados à mesa do café, ela vira pra mim e diz: – Não devia ter dado pra você ontem, mas o álcool tirou a minha inibição. Eu ri. Perguntei se ela tinha se arrependido e ela respondeu que não. Todo aquele desejo do outro guardado. Toda aquela saudade que precisava sair de algum modo. Toda aquela paz sentida depois de uma noite fazendo Amor.

Era Saudade demais pra nos segurarmos.

[ Gustavo Lacombe ]

Anúncios