Está Escrito na testa: Te Quero

Sinto o peso do teu corpo no meu e um arrepio me sobe pela nuca. Irradia de cima para baixo e parece deixar todo o corpo atento. Não bastasse tudo isso que conseguiu fazer só de me olhar, agora que você coloca as mãos em mim e toda tua vontade parece me querer bem mais perto do que um beijo já dá por impressão.

Fica difícil pensar em conseguir parar.

Nos meus mais safados pensamentos, já rasguei a tua roupa, embolei minha língua na tua orelha e deixei marcas nas suas costas. Nas besteiras que eu pensei nesses poucos segundos, estávamos nós dois percorrendo todas as descobertas de pontos sensíveis, pontos fracos e pontos fortes de cada um. Mas não há nada disso ainda. É só você em cima de mim.

Você faz – de novo e de novo e de novo – aquela cara de quem gosta do cheiro que dou no teu cangote, do jeito com que as minhas mãos te apertam e de como puxo seu cabelo. Você geme baixinho. Eu já sei que você gosta. E eu já sei que você gosta de saber que eu sei que você gosta. Parece pedir de novo.

Dou um tapa de leve na sua coxa e imagino mais. Peço desculpa em voz alta e você saca na hora. Me denuncio. Talvez esteja escrito na minha testa que aquele lado todo fofo que você elogiou antes se transformou em outra coisa. Chupo o canto da sua boca imaginando que poderia estar fazendo o mesmo um pouco mais pra baixo.

Desculpa mesmo a minha franqueza, mas se você não pudesse ler tudo isso na minha cara poderia acabar sentindo na roupa. No suor, nas quenturas, no volume. Como negar? Eu fico olhando pros seus peitos, pra suas curvas, pra sua boca e fico sem saber onde pousar meus olhos. Quase louco.

Dou uma olhada na nossa pele junta, ainda de roupa, e parece inevitável pintar você toda nua nos meus braços. Agora é bem mais forte que eu. Minha imaginação está a mil e você me pede: para, por favor. Eu travo. Sei que você pede porque também se sente do mesmo jeito que eu. Às vezes, é melhor estabelecer algum limite antes que todos os limites sejam ultrapassados.

Outro dia, quem sabe, eu não desvendo mais de você. Quem sabe? Eu e minha imaginação mal podemos esperar. Eu e minhas mãos, minha boca, meu corpo. Tudo em mim pode esperar. Você também esperará. Irá ficar ansiosa. Um outro arrepio me sobe. Te deixo quase intacta, mas morrendo de vontade de arrancar a roupa no dente.

Sei que é meio absurdo, eu sei, mas que estava morrendo de vontade, estava.

[ Gustavo Lacombe ]

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s