Ou Ela ou Eu

A gente se encontra numa dessas noites perdidas pela cidade e meu coração palpita. Pularia em teus braços, te beijaria a boca e sorriria bem mais do que o aperto que a saudade me fez esses últimos dias, mas você só aperta a minha mão e me cumprimenta friamente. Não fosse a mulher que você traz à tiracolo, poderíamos continuar nosso Amor proibido.

Sinto vontade de te perguntar “ou Ela ou Eu?”.

Baixo os meus olhos. Escondo minha dor num copo e me afogo na minha própria mentira que venho criando sobre nós dois. Fico olhando de longe o que vocês fazem. Fico seguindo os movimentos. Minha mente arma seus piores truques e torna-se inevitável não acabar pensando nas noites que vocês passam juntos, nas coisas que vocês fazem juntos, nas juras que você fala pra ela, mas repete comigo.

No amor que vocês fazem.

Morro de medo, você sabe, de fazer essa pergunta maldita. Morro de medo porque eu sei que sou a “outra”. E agora já encaro o fato sem pudor algum. Você encontra em mim algo que não vê mais nela, só que isso não é suficiente. Nunca serei promovida a “oficial”. Uma amiga vive me dizendo que estou apenas me enganando e perdendo meu Tempo, gastando minha Vida. Entre mim e ela, você certamente ficaria no conforto do lar. E me abandonaria.

Então, fico naquela insuportável sinuca de bico. Não te digo tudo que sinto porque tenho medo de ficar sem você. Deveria mesmo era ir lá e escancarar o que a gente tem. Ao mesmo tempo, sei que continuar te tendo pela metade vai seguir cravando cada vez mais fundo uma faca no meu coração. Sangrando, não consigo desviar os meus olhos de vocês. E eu sei que você já reparou a situação que a gente criou.

De longe, percebo, você está me encarando. Puto.

Penso em arrumar outro alguém ali mesmo naquela festa. Pretendentes não param de se encostar, mas dispenso todos. Te causa ciúmes cada aproximação. Depois me sinto uma idiota. Uma ridícula. Já basta o meu papel, não preciso passar recibo. Tem gente que não entende quando eu digo que o Amor, às vezes, nos cobra um preço alto demais. Só que cada um sabe o quanto pode bancar.

Vou embora antes de vocês. Meu coração apertado é apenas o 3×4 de um sentimento gigante. Soa como castigo. E eu vou dormir com a cabeça zonza, morrendo de vontade de fazer a tal pergunta. Repito baixinho pro meu travesseiro: ou ela ou eu. Ensaio. Ensaio aquilo que não vou perguntar. Por fim adormeço.

E, como um pesadelo, sonho contigo.

[ Gustavo Lacombe ]

Anúncios

6 comentários sobre “Ou Ela ou Eu

  1. Amei o texto Lacombe!
    “Tem gente que não entende quando eu digo que o Amor, às vezes, nos cobra um preço alto demais. Só que cada um sabe o quanto pode bancar”.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s