Você não precisa ter na sua Vida alguém que faz questão de lembrar seus erros. Quando alguém está disposto a aceitar a sua realidade e entender que o caminho a ser traçado é mais importante do que já percorrido, as mãos dadas se tornam verdadeiros laços. Realmente, nunca se poderá deixar de ser o que foi um dia, mas com certeza se pode mudar o que quer ser amanhã – começando pelo agora. Então, é preciso não se prender aos deslizes. Todos nós temos direito a segundas chances. Claro que, depois que se machuca um coração, há um preço a ser pago. Não se pode querer continuar tendo por perto alguém ferido, mas nos novos encontros se acha a possibilidade de fazer algo diferente. A culpa existirá, mas não se deve carregá-la como correntes. Pedir perdão é o mínimo, reconheça as falhas, mas sem nunca hesitar em seguir. Reparar o mal  feito não é tentar escondê-lo. O passado está fadado a ser aquilo que se construiu, mas o futuro pode ser totalmente diferente. Se alguma porta se fecha, outra sem dúvida abrirá. Dói, sim, ter que deixar de lado tudo aquilo que fazia bem, mas se entende que essas são as mudanças da Vida. Há quem venha apenas para ensinar algumas lições. Aceitemos. E, acima de tudo, que se tente ser sempre alguém melhor. Todo dia nos é dada a chance de lapidarmos o coração e transformá-lo num diamante. Certamente haverá de aparecer quem enxergue em nós todo esse valor.

[ Gustavo Lacombe ]

“O Amor é Para os Raros”, meu segundo livro, já pode ser reservado por aqui: http://www.bit.ly/oAmorÉParaOsRaros

Anúncios