Ela olhou pra mim e disse alguma coisa que eu não gostei. Não me lembro bem o que foi, mas me recordo o segundo exato em que não aguentei e explodi. Gritei. Na cara dela pude ver a perplexidade de alguém que não esperava aquela reação. Ela, chateada e com razão, simplesmente virou as costas e saiu de perto de mim dizendo que não queria mais conversar.

E naquele segundo eu achei que tivesse jogado fora tudo que a gente tinha.

Talvez seja por isso que hoje eu tente medir e muito as consequências das coisas que eu faço. Não acredito que o perdão tenha o poder de simplesmente apagar as coisas. Nada apaga totalmente um erro, nem mesmo dois acertos posteriores. Você pode, sim, recomeçar e aceitar a nova chance, mas nunca vai conseguir tirar da história aquele episódio ruim. Ele vai sempre estar lá para te lembrar da besteira feita.

Ao meu ver, o mais importante é conseguir seguir. “Como seguir” é o ponto crucial. O arrependimento pode ser carregado para sempre (como até hoje carrego a vergonha por ter feito o que fiz com alguém que amava tanto), mas é a lição que vem junto disso tudo que torna aquele fato ainda mais relevante. Se não há um aprendizado depois, o erro se torna ainda maior.

Como se continuasse a ferir.

Não quero que você pense, então, que pedir desculpas não vale nada e que simplesmente errar e aprender é o suficiente. Pelo contrário. Acredito que quando se erra e se enxerga o deslize, desculpas sinceras são o ponto de partida para um possível remendo, para uma tentativa de cicatrização do mal que foi feito. A partir daí, tudo é reconstrução.

Eventualmente dá certo. Você se arrepende de verdade, tateia caminhos para que tudo fique bem e guarda o erro como experiência. Principalmente para não ser repetido. Eu até hoje me arrependo de algumas coisas que fiz, como o exemplo do grito, mas acredito que aprendi. O difícil é ter que lidar com o fato de errar com as pessoas que amamos para, então, sermos melhores.

É preciso pesar as consequências, não deixar que elas nos esmaguem depois.

[ Gustavo Lacombe ]

Para ler mais:
http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos

Para ter meu livros:
bit.do/Lacombe

Anúncios