Ame Sem Vergonha

Ame despudoradamente. Ame a ponto de postar nas redes sociais, de gritar da varanda do prédio como final de campeonato. Ame sem restrição de lactose, de glúten ou qualquer outra dieta; entre vocês vale tudo, contanto que seja sincero. Ame sem ficar questionando o tamanho do sentimento do outro, mas sabendo ler na recíproca que essa paixão dá pé. Ou que o afogamento de beijos é a parte mais deliciosa.

Ame sem vergonha. Na mesa do restaurante, evite aqueles beijos com o feijão na boca, mas não se furte de esticar o pescoço e roubar um selinho. Tenho lá minhas implicâncias com quem perde a linha na fila do pão, mas chega a ser inspirador ver um casal principiar uns amassos e um dos dois depois soltar aquele olhar de “continuamos mais tarde”. No quarto. No chuveiro. Em pé na cozinha.

Onde der na telha.

Ame com flores no trabalho, entrando pela porta através daquele entregador que fica com cara de besta e não consegue se acostumar com a cena. A amiga da baia ao lado fica com raiva. Ela não recebe flores há tanto tempo que só se lembra do fato de que foi do ex, mas se esqueceu que foram pedidos de desculpas. Ame até ficar com cara de bocó ao olhar a foto daquela pessoa. Aliás, ame ligando sem querer no whatsapp e diga “tava tentando ver sua foto”.

Chegue ao ponto de amar sem ter tempo para olhar o Instagram. O Snap. O Face. Ame de um jeito que vocês se esqueçam de tirar fotos e que cada segundo compartilhado fique armazenado no principal HD: o coração. Ame brindando, sempre comentando os motivos de estarem felizes naquele exato momento. Não fuja do clichê. Jogue-se nele. Declara-se com “sou feliz porque sou teu” e pronto. Piegas, sim. Cafona, sim. Brega, sim.

Amando, sempre.

Ame, principalmente, sendo sincero consigo. Algo está errado? Fale. Não quer mais? Termine. Sentiu saudade? Ligue. Quer mais? Case. Siga o que manda o instinto, sem vergonha de ser feliz. Ou sem medo algum de arriscar. O maior entrave do amor é o medo. Mude de cidade, de país, de vida, só não deixe que o sentimento mude. E passe. E morra. Ame, também, sem vergonha alguma de se amar tanto quanto. Arrume-se pro outro, cuide-se pra você.

E, depois de tudo isso posto, ame sem preocupação alguma de ser feliz. Apenas seja. Ame sem acreditar que os outros relacionamentos são melhores. Todos temos nossos dias ruins. Ame sem se importar com o que os outro falam, mas sabendo bem o que se passa entre vocês. Ame com respeito, carinho, atenção e tolerância. Ame com vontade. Tesão. Prazer. Ame com todas as suas armas e a guarda baixa. Ame sem vergonha alguma de se sentir bem com isso.

Acima de tudo, nunca ame por dois.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s