Paga pra Ver!? [+18]

Sábado à noite. Ele me manda uma mensagem dizendo “tô indo pra balada, mas queria tá indo pra sua cama”. Eu ri. Desconversei e saí com umas amigas. Meia hora depois ele diz que já chegou, mas que largaria tudo pra ir atrás de mim. Joguei na roda. Perguntei pra Ju, pra Cá e pra Mai o que elas fariam. Respondi algumas perguntas básicas: sim, era o mesmo daquele motel legal. Sim, tinha me feito gozar. Não, sumiu a semana inteira. Não, eu não me importava. Sim, tava a fim de dar pra ele de novo. Cada uma opinou, mas não conseguimos decidir. Pra situações assim eu prefiro que o conselho feminino me ajude a escolher. Logo eu, tão racional, quanto sentia a boceta pegar fogo não pensava muito. Mas tinha quebrado a cara há pouco tempo. Achei prudente esperar. Quinze minutos ele mandou: última chance. Fiquei puta. Onde já se viu colocar alguém contra a parede assim!? Paguei pra ver. “Meia hora, lá em casa. Você sabe onde é. Se esqueceu, avisa e nem se dê ao trabalho de ir”. Dei tchau pras meninas e fui. Ou dormiria cedo, ou ganharia uma foda. E não é que vinte e sete minutos depois o cabra tava lá!? Não ia me deixar falar, mas eu tive que perguntar: não arrumou ninguém? Foi a vez dele rir. “Arrumar a gente sempre arruma, mas química gostosa não é com qualquer uma e você bem sabe disso”, falou. Eu odeio gente presunçosa. Odeio quem se acha, mas o filha da puta podia se achar. E aquele sorriso… eu pensava “não sorri, filha da puta”. E ele sorria mais. E rolou, né? Gostoso de novo. Agora aqui em casa. E ele perguntou se podia ficar. “Eu sei fazer tapioca”, disse, emendando com um “aceito o pagamento com favores sexuais”. E ria. E eu sentia que ia me enrolar mais. “Só fica se me fizer gozar de novo”. Lá veio ele. Duas halls prata na boca, camisinha fininha na cabeceira e aquele ímpeto que tinha me deixado louca uma vez e me deixava pirada de novo. Do jeito que ele se esforçava, acho que queria era ficar a semana inteira. Me chupava e sorria lá debaixo. E eu pedia “não sorri, filha da puta”. E ele sorrindo. E eu sorrindo. Eu gemendo. Ele sorrindo. Dormi assim. Sorrindo.

[ Gustavo Lacombe ]

Anúncios

1 comentário

  1. NOSSA que inspiração queria ter você aqui sentir teu cheiro te tocar com carinho te sentir em mim mas tudo bem excitante picante tem algo mais em cada palavra expressa o o tesão que sinceramente nunca sentir esse texto que mexer com nossa alma e acender uma constelaÇão em mim #aaaaalacombe Tu ainda me matar 💋faz um tempinho que estou separar dois anos e com esses textos gostosos de ler me excitar de um jeito que nunca tinha pensando será que é possível existe alguém assim aiaiaiai 💋

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s