Acordar ao teu lado

Tirei os dois pés da cama e a cabeça do travesseiro, mas alguma coisa ficou lá. Naquele quarto. Enquanto você dormia e eu pensava na sorte que você tinha de não precisar acordar cedo para ir ao trabalho (já que você só pega mais tarde), fiquei admirando as suas formas, suas pernas que se precipitava para fora do short do pijama e a boca, meio abertinha que denunciava que teu sono ainda era profundo.

Abri a porta com cuidado, fui deixar o café pronto e liguei o chuveiro. A água, ainda fria, me lembrou de como gosto da quentura da tua pele ali comigo, fazendo as loucuras no box e provavelmente incomodando os vizinhos com barulhos inapropriados para serem ouvidos a qualquer hora do dia, mas que a gente sempre diz em tom de brincadeira “e tem hora?”.

Não tem.

Vesti-me um pouco apressado percebendo que ajudaria o atraso por sair de casa fora do horário e somando ao trânsito dessa cidade que a gente vive falando que um dia vai deixar, mas foi colocando a roupa que mais uma vez eu notei a delícia de tirá-la pra você, de estar perto de você, de te olhar profundamente e perceber que minha melhor camisa é teu abraço. Teu melhor vestido é teu sorriso.

Quando eu voltar, sei que não vou te encontrar aqui. A gente ainda mora em casas separadas, mas a chave que eu fiz das minhas portas é só um lembrete físico de que você já tem a mais importante de todas: a porta do meu coração. Clichê? Meio bobo? Sim, tudo isso, mas é isso que acontece quando se ama, se gosta e se tem a certeza de que a vida é dividida a dois para ser multiplicada em casal.

E se ainda precisar dizer, repetir, escrever ou colocar em um outdoor (o que pode ser demais), deixo aqui em todas as letras que precisam sempre ser corroboradas com atitudes, mas que é exatamente o que sinto neste momento em que saio e te vejo ali na minha cama: você é uma delícia.

Ah! E eu te amo muito também.

Publicado por

Gustavo Lacombe

Gustavo Lacombe, trinta e um anos seguindo com uma vontade de escrever sendo lapidada todos os dias com muito suor e ideias. Tem a certeza de que será preciso quebrar muito a cabeça até conseguir chegar a algum lugar. Escreve por esporte, paixão e prazer - foi assim que fez seus quatro livros. Carioca da gema, acredita no amor bonito, ainda que o amor tenha diversas facetas não tão bonitas assim. Romântico, corredor de fim de tarde e feliz proprietário de um bom violão. É no blog, na página (fb.com/GustavoLacombeTextos) e no instagram (@glacombetextos) que, volta e meia, despeja o que lhe inspira, expira e vive. Ou queria ter vivido.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s