Imagem

Perdoar Como?

Eu acho que nunca vou conseguir te perdoar por ter estragado tantas músicas que eu gostava. E que me faziam pensar em nós e nos planos que eu arquitetava na cabeça. Dá uma grande playlist de expectativas quebradas e de sonhos que nunca irão se concretizar, mas que existiram e foram mesmo lindos porque eu os senti com todo meu coração. Eu acho que nunca vou te perdoar pelas séries que não vi esperando o teu tempo ou pelos episódios que assisti só porque você se adiantou ou nunca verá comigo. Os desfechos que quiseram me surpreender não verão a minha cara de espanto pros teus olhos que, como sempre, vão se fechar num sorriso e delatar minha bobeira porque já era tudo meio previsível, mas eu quis me deixar pegar de surpresa. Eu tenho quase certeza que vou precisar de piadas novas, memes novos, figurinhas novas. Qualquer coisa que me faça rir de novo, mas sem que eu associe a algo que já sorri contigo. Das provocações novas até aquelas em que só teu fogo me fazia queimar até cansar, vou precisar me renovar. Por roubar a graça das coisas, vai ser quase impossível te perdoar. Eu acho que vai ser muito difícil voltar a falar normalmente com alguém que tenha o mesmo nome que o seu porque a obviedade dos apelidos e do registro formal na certidão de nascimento vão me fazer lembrar que de todas as pessoas com este nome, foi você quem o tornou especial de certa forma e eternizado de uma maneira ruim por outra. E se alguém insistir em se aproximar eu vou ter que rebatizá-lo porque será impossível chamá-lo e sem te lembrar. E eu também te odeio por isso e por uma série de outros motivos que eu colocaria aqui, como me fazer pensar em ovo, café, açaí e suco de graviola e imediatamente associar com teus gostos. E eu só queria que você gostasse de mim como eu gostei. Como eu quis os planos, as músicas, as séries, os filmes e os apelidos. Tudo contigo. E por tudo que não vivemos de lindo, acho talvez que será impossível te perdoar.

#ahlacombe
@lacombegus

Imagem

O Amor é Inocente

O Amor não é culpado ao entrar num coração. Ele sempre vê naquela porta uma passagem natural e não se importa em arrombá-la. Usar chave-mestra. Ou simplesmente pegar a maçaneta, girá-la e pronto. E da natureza do Amor invadir, trespassar, se fazer presente e não ligar pro seu momento. Uma vez instalado, bota os pés no sofá, arruma o seu canto e não vê como problema se o resto está uma bagunça. Ele só quer se ajeitar. E abre a geladeira, deixa a toalha em cima da mesa, não lava a louça. Só quando quer. Só quando se incomoda. É típico do Amor viver entre o caos e a ordem. E continua sendo inocente. Continua porque, por mais antigo que seja, ele é só uma criança travessa que se esqueceu dos dilemas que traz e apenas quer te ver sorrir. É aquele menino que numa loja de louças escolhe a mais bonita pra te presentear e, no caminho do caixa, derruba o mostruário inteiro. É o sorriso de quem sabe que será perdoado pelo deslize porque suas intenções ainda são puras e efeitos colaterais são inevitáveis algumas vezes. Decidir, então, abraçar este Amor, compreender seus motivos e deixá-lo ficar é uma das decisões mais difíceis que podemos tomar. Tem gente que o expulsa. Tem quem faça ele se mudar. Coloque num quartinho de fundos. Tem quem o ignore e o deixe isolado pra ver se ele se toca e vai embora. E, acredite, tem quem conviva com dois desses Amores dentro do peito – e eu nunca me senti confortável pra dizer que isso era impossível. Declarar tudo isso é, sim, uma das coisas mais raras da vida por mais que a Vida esteja repleta de “Eu te amo” por aí. Exige uma fé, um salto de cabeça, uma coragem. Exige você ter certeza do que quer e aceitar o que vier do outro lado, que nem sempre é recíproca. Exige amar e não querer nada em troca uma vez que o próprio Amor já é suficiente. O que vier é lucro. E se ele não vier de volta? Amor não mata a gente. Se não correspondido, apenas nos mostra o dom mais divino: o de ainda ser capaz de amar.

#ahlacombe
@lacombegus

Imagem

Bumbum não se come

Bumbum não se pede, se conquista. Isso é o que diz uma música já meio antiga e machista até certo ponto que eu concordo e discordo ao mesmo tempo. Por quê? Bom, vamos lá. Como mulher e com a exata certeza do que gosto, posso dizer com propriedade que anal não é algo que eu faça com qualquer um. Faço, mas o cara precisa ganhar minha confiança. Eu sou assim. A não ser que, dependendo do tesão, eu queira dar pra alguém no primeiro encontro e foda-se. Complicado colocar dois tabus no mesmo texto, né? Mas vamos com calma. Anal precisa de técnica. Precisa saber o que está fazendo. Se botar de qualquer jeito, vai doer. Se for apressado, vai machucar. Se for com medo, vai ficar ruim. Se não relaxar, vai ser uma merda. Minha dica: só dê depois de gozar. Depois de estar relaxada ao extremo. E não por pressão. Não porque o cara “merece”. QUEM MERECE É VOCÊ, GATA! Porque o teu prazer é que conta e não o orgulho dele em dizer “comi um cu”. Faça-me o favor! Quero, sim, que você se descubra, que você saiba que dá pra gozar pra caralho dando a bunda e que não é pra ser tabu. Tudo que é feito na cama em nome de um sentimento real é válido – Garcia Márquez tem uma frase parecida com essa. Então, não libere somente porque o cara é maravilhoso e você acha que ele merece. Você merece ser feliz se conhecendo, testando coisas novas, se prevenindo e descobrindo que teu corpo é maravilhoso! Pode até ser que, num dia que ele quiser muito, você faça por ele, mas sabendo o que você gosta e encontrando quem saiba fazer, dê sempre. Faça sempre. Faz o que tu tem vontade, mulher. E espero que seja com quem saiba o que está fazendo. Repito só porque é necessário. Bumbum não se come, se degusta a dois.

#aaaaahLacombe
@lacombegus

Imagem

Pra Ser Leve


Namoro é pra ser leve. Fazer sorrir. Não é pra implicar com o que o outro come. Tá liberado zoar porque o time perdeu, brigar pelo lençol e, claro, bagunçá-lo fazendo amor. Namoro é pra deixar mensagem no espelho do banheiro com batom (sem gastar aquele que caro, por favor!). É entregar uma rosa de surpresa no trabalho, gastar cinco minutos para desviar a rota e encontrar com a pessoa. É mudar todos os planos em cima da hora porque ela descobriu um programa (de índio) muito mais interessante – ou que parecia, pelo menos. Namoro é pra jogar areia na hora de ir embora da praia, é pra sorrir com aquela piada sem graça, cantarolar as mesmas músicas ou ficar impressionado com o horrível gosto musical que o outro tem. Namoro é até pra dividir um açaí caso o estabelecimento tenha um que sacie o desejo dos dois. Um litro talvez seja suficiente. É pra engordar juntos, emagrecer juntos ou respeitar o estilo de vida do outro (liberando as brincadeiras). Aham. Tá bom. Namoro é pra ser feliz é também demonstrar apoio, se fazer presente nos momentos ruins. É aceitar defeitos, exaltar qualidades e querer evoluir – como casal e individualmente. É entender que o outro tem uma vida separada da sua, tem os próprios amigos e até mesmo próprios programas. É saber entender que cada um tem seu espaço e que o rótulo de ser qualquer coisa do outro não te dá o direito de se meter nisso. Algumas pessoas amam ficar de conchinha, mas também adoram poder desfrutar do próprio silêncio. Namoro é ótimo para exercitar a arte do cafuné, de tolerar as esquisitices de alguém e respeitar a confiança que lhe é entregue. Se for pra trair, obviamente, não namore. Namoro é pra pegar na bunda, não no pé. E pegar com jeito e vontade, não em todo defeito e fazer uma tempestade em copo d’água. É pra conquistar um pouco mais a cada dia, mesmo sabendo que alguns dias serão difíceis. É pra tentar sempre fazer sorrir e o bem, sem se assustar com arestas que precisem ser aparadas. Se for pra brigar sério, que briguem com a mãe, com os irmãos, com o chefe. Namoro é pra mais um monte de coisas, mas, principalmente, é para ser feliz do jeito que a poesia nos ensina “infinito enquanto dure”.

Imagem

Alguns “tô com saudade” são mentiras

Tem muita gente que faz isso de sacanagem, mas também tem quem faça sem perceber que está prejudicando o emocional do outro. Ainda assim, com ou sem intenção, é meio foda perceber que tem gente que tenta nos manter em banho-maria só pra não perder o “contato certo”. E, cara, algumas situações ficam na cara. Nós é que nos fazemos de idiota mesmo por conta de uma carência, de um desejo, uma vontade que o corpo ainda tem de provar aquele gosto repetidamente. Uma hora se aprende? Bom, era pra ser assim. Mas não é garantido. Há quem precise tomar muita porrada até conseguir se defender. Há quem tenha que ter vários “déjà fu”, o popular “já vi isso me foder alguma vez”, pra parar de dar uns moles. Só que eu sei o quanto é tentador responder aquele “Tô com saudade” com um “também”. Sei que o dedo coça pra dizer “pensei em você”, “quero te encontrar” e outras variações possíveis. Minha dica, ou conselho – e olha que eu detesto dar conselhos, é que a Vida é muito curta pra gente não ter uns esquemas errados de vez em quando. Muito curta pra não aproveitá-la, se envolver sem compromisso, provar algumas bocas. Mas também é muito curta pra ficar sendo feito de trouxa pra sempre. No máximo, então, sejamos um “trouxa consciente”. Você sabe que o que aquela pessoa quer, você sabe que não deveria cair no jogo, mas você também sabe colocar barreiras dentro de si. E, se você ainda não sabe como fazer isso, um dia aprende. Eu te garanto. Uma hora, depois de tanto ser o brinquedo, a gente finalmente passa a ser o jogador.

#ahlacombe
#GustavoLacombe 💛📚


Quer me ler mais? Me leve pra casa! Compre meus livros pelo link da bio ou aqui:
http://www.gustavolacombe.com.br/livros

Imagem

Sonha

Um passo pra fora da sua zona de conforto e você já poderá ver mudanças incríveis acontecendo. Continue caminhando em direção aos seus sonhos e perceba que toda porta fechada faz abrir uma lá na frente. Decida começar a correr com seus projetos e veja muita gente comentando que você está dando sorte. Dê sua vida num sprint necessário para fazer aquela oportunidade dar certo e sinta a inveja de muitos que não conseguiram pôr em prática seus próprios desejos. Pule bem alto, avance sem medo e saiba que muitos passarão a torcer pela sua queda. Voe plenamente e não se assuste ao ter que desviar de quem, lá debaixo, tenta te acertar com seu rancor. Mas acima de todos esses alertas, siga seus sonhos porque não há vida sem eles. E vivendo-os, note que ao teu lado ficará quem é necessário e te acompanhou pela jornada, chorou tuas derrotas e nunca te abandonou. Dê o primeiro passo, mesmo sem muita convicção. Ao menos já terá saído do lugar. Sonha e vai.

#ahlacombe
@lacombegus

Compre meus livros aqui:

http://www.gustavolacombe.com.br/livros

Imagem

Me Leva Pra Sua Casa

Sempre que começo uma campanha nova de promoção dos livros eu fico pensando que estou ajudando que mais pessoas tenham acesso ao conteúdo que eu produzo e, claro, dando aquela boa oportunidade a quem estava esperando uma promoçãozinha. Do outro lado fica o pensamento de “será que agora todo mundo vai sempre esperar uma promo?” É o pensamento do cara que precisa produzir, que quer ver os seus livros voando por aí, mas que também precisa pagar conta.

Agora que é Carnaval, resolvi fazer mais alguns agrados para os que estão esperando e, claro, tento movimentar a página com mais gente chegando e conhecendo os textos. Mais que números, mais que likes, mais que engajamento, todo escritor precisa, na verdade, de leitores reais. Gente que acompanha, que está sempre ligada nas novidades e que até cobra um livro novo. Eu curto isso e acho que é um puta elogio já que é alguém demonstrando o seu carinho com o que já foi escrito.

O link tá aqui em cima no menu do site (www.gustavolacombe.com.br/promocarnaval) e se vocês tiverem alguma dúvida basta entrar em contato. No combo com o Versos + 1 à escolha, o livro a ser enviado junto precisa ser enviado por email (gl_santana@hotmail.com) para se formalizar o pedido, mas não se preocupem porque sou eu mesmo que cuido de tudo. Tudo mesmo! Haha! Não existe isso de “Equipe do Lacombe”, apesar de eu achar uma ideia genial.

E sempre que eu disser “me levem pra sua casa” nada mais é que a pura verdade já que 1) pelo direito autoral, toda obra carrega consigo uma parte imaterial do autor e 2) muito do que eu vivi está ali naquelas páginas, sendo muito foda saber que vou estar nas suas mãos depois de ter escrito a grande maioria desses versos sozinho.

Então, é isso. Se tiverem mais alguma dúvida, crítica, elogio ou sugestão, estou às ordens.

Beijos!

Gustavo

1) COMBO Clube 1 + Clube 2 #TextosProibidos = https://pag.ae/7VL9smSVr

2) COMBO Versos Que Camuflei + Qualquer Livro do Lacombe = https://pag.ae/7VLkTf4TN
na hora da compra, envie para gl_santana@hotmail.com a sua escolha de livro

3) COMBO 5 livros + Caderninho da Gratidão (+ bag e cartinha) = https://pag.ae/7VLkTSZzr

4) COMBO Amor + Clubes 1 e 2 (+ bag) = https://pag.ae/7VLkV24Kn

Todos já com frete e marcadores de págins incluídos e, claro, aquele autógrafo lindão garantido!
Alguma dúvida? Escreva ou deixe um comentário aqui! ;P

Imagem

Tão Natural Quanto Respirar

Você não sabe há quanto tempo eu tenho guardado um tesão só pra você, mas tomei coragem pra dizer. Me apropriando do que diz naquela música, o que te digo é apenas uma verdade: não importa quantos já tenham passado na minha cama, a vontade de te pegar, te arranhar e me esfregar na tua cara não passa. Sabe qual é o problema de quem finge demais ser certinho? É que na hora do “vamos vê”, assusta quem não esperava tudo aquilo. Isso não quer dizer que eu sou atriz pornô, que eu já dei pra 500, ou te dá qualquer margem pra falar do meu caráter. Eu tô falando daquilo que surge inexplicavelmente só de olhar alguém, aquela atração absurda que sobe no corpo e só um banho gelado dá jeito – pelo menos nos quinze minutos que se seguem depois dele. Uma coisa tão natural quanto respirar que muita gente freia por instinto natural da mordaça da sociedade. Recatados, bem vestidos, polidos e pudicos. Somos assim na frente de todos e é até meio óbvio. Ou você acha que quero dar certas liberdades a quem nem ao menos sabe meu sobrenome ou se lembra da minha data de aniversário? Entretanto (porém, contudo e todavia), tem certos dias que só quero transar (e coloque aqui alguns outros verbos) e satisfazer uma coisa interna minha que já nem posso mais chamar de vontade ou necessidade. E nem pode ser com qualquer um. Entenda: tem uma hora que a mulher prioriza sua sanidade mental e um bom vibrador já faz uma bela parte do serviço – sem precisar chamar um uber depois. O que rola contigo, então? Não sei. E se eu soubesse explicar não teria gasto tantas palavras te dizendo o que eu não consigo achar no dicionário, mas que o corpo inteiro sabe. Eu. Preciso. Sentir. Você. Fica aí o convite. E, por favor, não se assuste com o meu jeito direto de ser. Se fosse pra ir com calma, eu tinha respondido o teu story biscoiteiro feito só pra chamar a atenção. Não precisa. Tô aqui. Ou me apaga de vez ou queima comigo. Você decide.

#aaaaahLacombe
@lacombegus •

@fridacastelli

Imagem

Já chegou Carnaval

Chegou. A semana mais esperada por muitos – alguns pra folia, outros pro descanso – mas definitivamente esperada. Aos que vão curtir, que o façam com sabedoria e inteligência. É foda ter que fazer post todo ano ensinando macho a se comportar nos blocos. Depois do “não” tudo é assédio e, convenhamos, não dá pra estragar o carnaval dos outros por conta de uma babaquice. A reflexão que fica, depois de ler algo que um amigo postou ontem, é que muita gente coloca uma máscara, fantasia e se revela como realmente é. Usa de pretexto a liberação dos dias de momo pra poder fazer merda. No bom português, desfila seu caráter ruim alegando que pode ser isso aí mesmo porque é Carnaval. Como dizem na Bahia: uma porra! E é justamente tentando evitar esses bloquinhos de confusão que muita gente sai da cidade, vai pro mato, vai pra praia onde não há festa, fica no sossego, retoma a assinatura do Netflix ou, por que não?, faz programas dentro da cidade que são completamente opostos ao do folião. Justo. Carnaval é festa democrática, é feriado pra ser aproveitado e na quarta-feira sempre se depara com o saldo: estragado ou renovado. O que vale, claro, é usá-lo para ser feliz. Gente feliz não enche o saco já diz aquele belo ditado que a sabedoria popular canta a plenos pulmões por aí. E, na real, se cada um se dedicasse a cuidar de si sem querer atravessar o samba dos outros, o Mundo seria um lugar melhor. Enfim, eu espero que você saiba bem o que quer fazer, que aproveite sem moderação e ser um cuzão. Usem camisinha, usem do bom senso e usem o que quiserem usar, mas saibam respeitar. Não tô aqui pra pagar de falso moralista. E se você quiser ir pra um retiro espiritual, renovar suas conexões com Deus, se quiser passar longe de qualquer coisa, que também seja proveitoso. O que não dá, seja qual for a data, é pra ficar naquela competição idiota de quem é que está realmente aproveitando mais a vida. Cada um sabe como ser feliz e vamos voltar à linha acima em que escrevo sobre saber onde lhe aperta o calo sem querer pisar no pé dos outros. Muitas metáforas, analogias e purpurina, né? Haha! Já virou carnaval! Já chegou. Que seja bem-vindo esse tempo de festa. Ou descanso e paz. Amém.

Gustavo Lacombe

Vai rolar promo de carnaval dos livros!
Já já começa aqui:
http://www.gustavolacombe.com.br/promo