Imagem

O Amor não conserta Cagadas

A gente não tá aqui pra consertar as cagadas de alguém que passou antes na vida de outra pessoa. A gente tá aqui pra ser feliz, pra amar quando dar pé e entender que cada história é única. Se o outro tem medo, se não quer se envolver, se acha que todas as pessoas são farinha do mesmo saco, problema dela! Sim, problema dela! Com exclamação e tudo no final porque não sou obrigado a ouvir “você vai me machucar como todo mundo fez”. Olha, amar é um risco presumido e só quem não teme o corte de novas feridas pode realmente conhecer o lado mais gostoso do amor: reciprocidade. Até lá, não tem como saber se vai dar certo ou não. O Amor não vem com estrela na testa, não vem com certificado de “à prova de falhas”, não vem com sinopse feito filme – e olha que tem muito filme que engana pelo trailer. Talvez o pensamento seja duro e você esteja incomodado com o tom usado aqui, mas do mesmo jeito que muitos querem conhecer alguém legal, há uma boa parte que não quer se abrir e fica jogando a culpa disso em alguém que teve a confiança nas mãos e a desperdiçou. Me perdoa, mas é que eu sou um romântico incurável, que vai defender até a morte o direito das pessoas tentarem mostrar que valem a pena, que podem fazer outra feliz, mas também sei que tudo tem limite. Eu posso bater na sua porta às três da madrugada com flores roubadas e dormir bêbado te ligando e dizendo que a saudade foi mais forte e não deu pra vir amanhã, mas uma hora eu vou cansar. E se alguém ainda tiver a coragem de dizer “se não insistiu mais é porque não era amor”, vou responder com: era amor, sim, mas próprio.

[ Gustavo Lacombe ]

Quer me ler mais? Compre meus livros aqui:
http://www.gustavolacombe.com.br/livros

Imagem

O Amor dá Certo, Sim

O Amor dá certo, cara. Se não deu com outra pessoa, pode dar certo na próxima vez. Eu sei que é foda ficar colocando o coração na linha do trem e esperando que ele não passe por cima. Talvez essa seja uma boa analogia pro sentimento. É como ficar em seus trilhos, com as flores na mão, mentalizando que o comboio vai parar antes de te atingir. Mas sempre tem quem feche os olhos, se jogue ali e seja feito em pedaços. Eu sei que tem. É difícil convencer alguém que já se machucou, que já se entregou e que não vê motivos para acreditar de novo que tudo aquilo vivido foi aquilo tudo vivido em outra ocasião. Entende o que eu tô falando? Não é confuso, é questão de tentar mostrar que cada vez que nos abrimos pro Amor temos uma nova chance de ser feliz. E quando algo dá errado, temos outra chance mais adiante. Sim, gostaria de olhar na cara da próxima pessoa que chegar perto de você e dizer a ela “cuida com carinho porque esse coração é especial e já sofreu mais do que deveria”. Aliás, prometo fazer isso quando a oportunidade se apresentar, mas não adianta eu pedir cuidado se você também não quiser tentar. Amar é para os corajosos, aprendi, e raros são aqueles que aceitam o desafio de viver tudo que vem no pacote. O Amor dá certo, mas vai viver aquele clichê inevitável de dar muito errado antes até chegar a esse ponto. E, sendo bem realista, é preciso entender e aceitar que algumas pessoas são apenas caminhos, nunca chegadas. Algumas histórias são apenas capítulos, nunca livros completos. E o que dá certo por um certo tempo não quer dizer que não valeu a pena ser vivido. Eu sei, cara, que dói terminar, ver alguém que era tudo se transformar em nada, mas você já pensou que alguém que é quase nada hoje pode vir a ser seu tudo algum dia? O Amor é apostar. Arriscar. Arriscar-se. O Amor dá certo, sim, basta acreditar que o próximo trem não passará por cima de nós.

[ Gustavo Lacombe ]

Imagem

Coração Ocupado

Ele fala que me quer. Me liga, manda flores, escreve. Ele insiste. Eu balanço. Sou de carne e osso. Às vezes chego a acariciar a carência e pensar que só uma vez não faria mal. E logo sou atirada aos meus piores pensamentos de culpa. Porque eu não quero iludir ninguém. Não quero ser o mau caráter da história. Mas é que ele me diz tanta coisa…

Fala tudo que eu gosto de ouvir. Me afaga o ego, massageia minha alma e me diz tudo que queria estar ouvindo de outra pessoa. E é aí que as coisas complicam. Eu não posso abrir minha guarda e deixar que ele se encoste se, na verdade, não quero nada disso. Nada dele.

Eu gosto de boa companhia, um papo legal e, não tenho dúvidas, uma química em vários aspectos. Só que ele nunca será quem eu queria que fosse. Por mais doce que seja, por mais educado, bonito e outras qualidades que tenha. Predicados não faltam, mas é isso.

Meu coração só tem espaço pra uma pessoa e, enquanto eu gostar de outro, de nada vai adiantar querer empurrar goela a baixo uma paixão. Talvez seja essa loucura que chamam de amor. E se meu amor não me quer, eu não quero nenhum. Tenho certeza de que ele encontrará outra pessoa. Homens conseguem sair dessa mais rapidamente.

Só ver um rabo de saia.

Pode ser que ele esperneie, fique puto e diga as verdades que eu encaro todos os dias. Mas eu amo e não quero magoá-lo. Não posso fazê-lo perder mais tempo. Eu sou o problema. Vou livrá-lo de mim. Ele merece alguém que esteja disposto a tudo que quer dar. E na minha insensatez de estar perdida nos pensamentos de outro, não posso de nenhuma forma enganá-lo. Eu banco perder essa oportunidade.

Banco e esqueço qualquer reticência porque, em mim, é outro que fixou residência.

[ Gustavo Lacombe ]