Imagem

Uma Vontade Adiada

No Mundo dos contatinhos, ou até mesmo daqueles dias em que o sexo é certo, não existe nada pior do que uma foda adiada, um encontro desmarcado ou algum outro motivo qualquer que não concretize a transa. Sendo um casal estável, pode até rolar algo logo depois. Sendo o Mundo dos desapegados, pode ser o fim da linha. Digo isso certo de que muitos já vivenciaram uma situação em que alguém pisou na bola ou teve um compromisso na agenda, um imprevisto de última hora, e precisou desmarcar. Segunda chance? Talvez se você se comportar direitinho e souber compensar de outras formas, mas o final da fila parece ficar muito mais perto. O que quero dizer com isso tudo é que é preciso muita responsabilidade na hora de marcar um “crime”. Ou na hora de sugerir pra patroa ou pro boy que naquela noite vai rolar. Desperdiçar uma chance de uma boa foda é como pegar toda aquela expectativa e jogar no lixo, sem condição alguma de reciclá-la. Vão falar “não crie expectativas”, mas não se trata apenas disso. Se trata de toda arte do jogo da sedução, se trata de se preparar fisicamente e psicologicamente, se trata de projetar no outro o prazer que se quer dar e receber. Talvez eu esteja filosofando demais, mas uma coisa é certa: adiar aquele dia do encontro é saber que esse dia não voltará nunca mais. Os gemidos ficarão numa realidade paralela. O gozo, o encontro das bocas, dos corpos e das vontades. E, por falar em vontade, adiá-la pode ser a senha para ela nunca mais aparecer. Perdeu a chance, vaza. É triste, mas é real.

( Gustavo Lacombe )

Imagem

Que Diferença Faz!?

Qual a diferença se fulano ama alguém do mesmo sexo ou do outro? Qual a diferença se sicrana se agarra com uma mulher ou um homem no escuro do seu quarto? Ontem eu vi um amigo postar sobre Amor e perder seguidores. Não, não acho que você seja obrigado a aceitar e gostar de tudo, mas a respeitar sim. Posso te falar uma coisa? Sempre existiu. Tudo isso que está aí, do que você defende ao que você ataca. Sempre esteve. E, te garanto, sempre foi amor, prazer, sexo. Promiscuidade. E fácil taxar alguém de outra orientação e não perceber que o cara que dorme com 5 mulheres diferentes em 3 dias também caberia numa definição assim. Ou será que cabe? Acho que deveríamos cuidar mais de nossos próprios rabos antes de sair por aí cheirando e denunciando o dos outros. Acho que temos de enfrentar mais os nossos próprios preconceitos e ver que não será uma cara feia ou uma opinião “abalizada” que mudará alguma coisa na vida de alguém. Olha, eu aprendi que toda repressão sempre tem uma reação, e essa reação pode te afastar de pessoas ou te colocar no centro de uma briga. Brigar pra quê, se estamos falando de Amor? Juro, eu não consigo entender. E se vierem argumentar que não pode se beijar escandalosamente em público, que não pode ser visto de mais dadas e que não podem assumir, vou sempre responder: qual a diferença que isso faz pra você? Um casal se agarrando na rua pode ser de mal gosto independente do casal. Andar de mãos dadas é carinho. Quantos pais não fazem questão de manter isso com os filhos? E amor não é crime para ter que “assumir” nada. Vamos pregar a maior religião que existe: o Amor. O resto é preconceito. E se surgir a pergunta no final, não, eu não sou gay, só defendo o direito das pessoas amarem quem elas quiserem. E isso não muda nada na minha Vida. Que sejam felizes. Que gozem. Que aproveitem. Até por que, quem goza não inferniza a Vida alheia. Nem denuncia textos. Nem perde tempo torcendo contra algo que nem lhe compete. Sejamos Amor. Vistamos Amor. Vivamos o Amor.

#aaaaaahlacombe

Imagem

A Oportunidade faz o Tesão Subir

O fato se deu numa tarde em que tínhamos uns 10 minutos no máximo pra fazer alguma coisa. Eu tinha ido pra uma cidade vizinha à trabalho e ela tinha ido me encontrar para um café na casa de uma amiga. Passaríamos a tarde juntos, mas não exatamente como queríamos. E como diz aquele ditado: a ocasião faz o ladrão. No nosso caso, a oportunidade fez o tesão subir. Essa amiga saiua comprar macarrão. Não ficaríamos sozinhos muito tempo e ela disse “pra vocês poderem se beijar em paz”, mas alertando pro “não vou demorar” logo ao cruzar a porta. Não deu outra. Foi a porta bater pra ela já ir me atirando no sofá, pegando no pau e dizendo que tava morrendo de saudades. A gente teria um dia pra ficar perto um do outro, mas não teríamos um quarto pra saciar o desejo. Ficar com alguém distante tem essas pequenas desvantagens em certas ocasiões – mas tem a chance de ter histórias como essa para sempre. Acabamos indo para um quarto, ela abaixou a calcinha, apoiou a mão na parede e a gente fez ali mesmo. Não sei que quarto era, mas parecia um escritório. Podia sentir que ela estava toda molhada e eu ia colocando forte como a gente gostava de fazer sem roupa alguma no meu quarto ou no dela, mas a ocasião exigia aquele malabarismo todo. Foi uma rapidinha até que demorada, terminando com ela caindo de boca em mim quando eu disse que tava quase gozando. “Me dá na boca”, pediu, tirando rápido dela e só dando tempo de engolir. Depois ainda me beijou e comentou “eu gosto que você beija depois, nada de nojinho”. E eu ria. Voltamos pra sala na maior cara de pau do mundo, obviamente, e não demorou mais do que uns três minutos para não estarmos a sós de novo. Fingindo que nada aconteceu, eu podia perceber que ela ainda arfava e me olhava de um jeito que não tinha sido suficiente. Claro, essas coisas apenas servem para iniciar o incêndio, nunca apagá-lo. Ainda assim, pelo menos tínhamos matado um pedacinho da saudade. Saudade que só fez aumentar depois daquilo tudo.

#aaaaaahlacombe
#pqpLacombe

Imagem

Não Confunda Química com Amor

Química não é Amor. Tesão, encaixe, pau duro, boceta molhada, pegada gostosa, gozada magnífica. Nada disso é. Corpos que se colam e parecem terem sido feitos um pro outro, transa transcendental, chupada de outro Mundo. Também não são Amor. Vale dizer o que é Amor? Tudo isso pode ser, mas vem junto com outras coisas. A ambiguidade serve, claro, pra você pesar e pensar: o que está rolando entre duas pessoas que se querem, mas não passam de cama, é o que? Eu sempre tento mostrar que as intenções podem estar distorcidas e não há clareza no que cada um fala. Tento ajudar uma parcela grande de pessoas que misturam as coisas de propósito, se enganando sem perceber por que querem viver algo maior. Não há julgamento, apenas um pedido para que sempre que parecer existir algo embolado, que uma boa conversa se instale e vocês tentem vislumbrar o que há. Uma gozada boa não vale um psicológico abalado. Desejo, sim, que quando você pensar ter encontrado aquela pessoa especial, que até mesmo o sexo seja gostoso e que a química exista, mas que nunca se deixe enrolar. Sobre aquela coisa de começar a gostar e se apegar, infelizmente é um risco que se corre onde o prêmio é óbvio: ter recíproca e o caso evoluir. No mais, vou continuar batendo na tecla de que Química nada tem a ver com Amor, mesmo que para ter um amor entre duas pessoas seja necessário química. Só que uma disciplina diferente daquela do sexo. É uma que fala sobre convivência, sobre o prazer da companhia, sobre as dificuldades de todo casal. Coisas que vão muito além de tirar a roupa. Não repare na confusão de conceitos aqui. Amar é tão complexo quanto Física Quântica. Química é fichinha perto disso.

( Gustavo Lacombe )

#aaaaaahlacombe

Imagem

Agora Que Sei Que Posso Falar (+18)

Agora que posso falar só queria te dizer que a minha língua já passeou muito pelos meus lábios molhando a boca e imaginando que poderia cair feliz na sua boceta. Molhada, claro, porque quero te atentar desde o princípio do encontro e te provocar pra que cada peça de roupa queira descolar do seu corpo e se juntar com as minhas no chão. Emboladas como nossas pernas em cima da cama. Ou em pé. Confesso que já bati (várias) no banho pensando em você como que poderíamos ser a tradução daquela piadinha boba de “vamos economizar água?”. Te quero faz tempo e, agora que sei que é recíproco, te mando essas mensagens pra tentar amenizar o tesão que me faz ficar de pau duro só de olhar os seus peitos quase nus no decote da foto antiga do perfil. Você sabe que é gostosa. Sabe que é linda. Tava vendo umas fotos tuas – e não repara por que todo ser que vive num estado parecido com esse meu vira um pouco stalker – acho que hoje é a sua melhor fase. E falo isso por que essa é a fase que a gente vai foder gostoso. Não acreditei quando vi que nossas conversar iam por esse caminho, mas meu lado Safa deu uns três tapas na cara do lado Fofo e deixou a vontade falar mais alto. Não acho que sou tarado. Patologicamente, sabe? Mas fico me perguntando se tem problema fantasiar um de semana de maratona contigo. Não de Netflix. Sexo até os corpos desfalecerem. E você vai acabar me perguntando “só pensa naquilo?”. Não. Penso no café da manhã que vou preparar pra você, no cinema que a gente pode ir, mas todas as situações tem como desfecho você em cima de mim. Ou eu em cima de você. Descobrir com calma tudo que você gosta e deixar que os dedos apertem a carne que tanto amassou a roupa de nervoso. E pra gente dar um rumo prático pra essa prosa, só me diz o dia que você pode e, se puder agora, me fala que eu saio correndo, de uber, ônibus ou helicóptero, mas apareço na tua porta pronto pra te fazer sentir o que tô sentindo com esse tesão de subir nas paredes. Já imagino teu rosto sorrindo na hora do gozo e a tua voz pedindo “vamos dar mais uma?”. Vamos. Agora que sei que tudo isso é recíproco, só me diz: quando você quer gozar comigo?

( Gustavo Lacombe )

Imagem

Viva a Vida

tumblr_lrxq5uvRG01r3s49co1_500_large

Jogue suas reclamações viciosas na parede e não se importe com a bagunça feita. Tudo exposto, do que precisa ser evitado ao melhorado, do ignorado ao subestimado, do revisto ao que precisa ser feito. Está tudo ali, bem na sua cara. Mas pra quê enxergar os defeitos se seguir caminhando resmungando é muito mais gostoso? É mais cômodo, mais interessante. Né? Pelo menos é o que faz parecer.

Nem tudo vai sair como o planejado. Se esse for um pensamento, pode desistir. Nada fica no lugar certinho. Quer mudar algo? Não pense apenas. Aja. Comece por aquilo que te perturba menos, mas que já faria alguma diferença se mudasse. Saia do conforto dos pensamentos negativos de que nada dá certo. Se você continuar pensando assim, nada dará mesmo.

Aprenda a tirar sorrisos das piores situações passadas. Elas já passaram mesmo. E, o que vier de mal, não deixe que ele se propague dentro de você. É difícil enxergar que se pode mudar, mas é uma questão de atitude. Tudo depende do peso que você aceita carregar. Tudo vai de acordo com os desejos aliados às vibrações que você manda pro mundo.

Ele dá voltas, esqueceu?

Seja a mudança necessária para reduzir a sua própria bagunça, ou pelo menos para se achar melhor dentro dela. Não olhe para o outro com inveja, aprenda a tirar exemplos. Seja a mudança da qual você tanto fala que pretende viver. Seja você, mesmo que para esse novo você um pedaço seu precise ficar pelo caminho. Não tenha medo de ir a um lugar diferente.

Tudo muda conforme se vive. E só não vive quem já está morto. Para uma próxima vez que venha a jogar suas reclamações na parede, espero que elas tenham menos cor e sejam menores ainda. Ninguém se transforma da noite para o dia. Tenha paciência consigo, mas não perca tempo. Não reclame e esmoreça. Reaja e ande.

Viva a vida.

[ Gustavo Lacombe ]

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos

Imagem

Que se Infinite

tumblr_mak8a4u5z51rcbqimo1_500

Qualquer sentimento não se conjuga apenas em palavras. É preciso ação para reafirmar o que se diz com tanta propriedade. Até mesmo a falta de uma ação – por que não? – pode ser encarada como “algo sendo feito”. Sabe quando você abre mão? Há quem diga que é aí que se pode ter um Universo de possibilidades. Mas também sabe quando você demonstra? É aí que se ratifica o que se sente.

Definir é impossível, eu sei. A expressão, por outro lado, está ao alcance de qualquer um. Ainda assim, não serão flores, chocolates e poemas que poderão dizer a alguém o quanto se ama. Se é tão fácil deixar claro quando não se gosta de alguém, por que não é assim também para se mostrar tocado por aquela pessoa? O momento merece uma frase: porque construir é bem mais difícil que destruir.

Não é receita de bolo, mas você vai precisar de respeito, carinho e confiança. E se isso já é importante antes de estar com alguém, imagine depois. A principal diferença nos relacionamentos é o que faz antes e após conquistar o outro. É tão animador ter que correr atrás de alguém. O famoso “fazer e acontecer”, né? Mas… é só isso? É só a busca, a caça, a conquista e fim?

Por favor, não faça tão pouco do amor.

Existem mais coisas entre o pensar e o dizer “eu te amo” do que o curto intervalo de tempo existente separando essas três palavras curtas. Existe a necessidade de transformar o sentimento em concretas ações espontâneas, mesmo que sentimento não exija provas. Quando não se limita a apenas falar do que passa por dentro, a exteriorização vem naturalmente.

Que não se perca a chance de dizer o quanto se ama as pessoas importantes por mais que palavras o vento leve. Saiba, porém, que o bem não se restringe a isso. Então, não se limite. Conjugado em memórias, presentes e sonhos, que se siga conquistando sempre quem se ama.

O sentimento que se infinite.

[ Gustavo Lacombe ]

“O Amor é Para os Raros”, meu segundo livro, já está disponível para compra aqui: http://www.bit.ly/AmorParaRaros 

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos
@glacombetextos

Educação não se aprende na Escola

Bildungspolitik entzweit Landtag
Não importa o valor da etiqueta do que você veste, do que você usa. Não importa o meio social em que você nasceu, se você teve o privilégio de um berço e a bênção de uma família capaz de prover mais que o suficiente para que pudesse crescer e se tornar o que quisesse. Não importa a sua cor, se tem cabelo liso e olhos sensíveis por serem claros. Nada disso te faz uma pessoa melhor. Pode lhe conferir status, atrair visibilidade ou até mesmo passar longe dos preconceitos que permeiam nossa sociedade. Pode ser.

Mas, que me desculpe quem acha o contrário, educação é fundamental.

Educação que não se aprende na escola. Se reforça, talvez. A verdadeira se aprende em casa. Se valoriza a cada “por favor” forçado pela mãe, nos “obrigado” esperados pelo pai e nas “desculpas” aos irmão, amigos e afins ante atitudes que mereciam, sim, o pedido de desculpas. E isso se ensina aos pequenos logo depois que eles aprendem o que é vontade. Vem assim que eles descobrem os seus limites e, por vezes, tentam quebrá-los. É quando entendem que cada ação tem uma reação. Uma consequência, e que tentar pular todas as barreiras pode ter um preço.

As situações podem ser pequenas. Um brinquedo que pegou sem avisar, entrar num ambiente sem bater na porta, pedir um copo d’água e não agradecer. Quando não se mostra que são pequenas palavras que podem fazer toda a diferença no tratamento, essas mesmas situações podem se transformar. A criança cresce, como a própria expressão já diz, mal educada. Não entende o valor de uma gentileza e, pior ainda, acredita estar certo em ser assim.

Entretanto, mesmo quando a criação não foi a melhor, é possível crescer com esses valores dentro de si. Sem querer estabelecer um ideal ou fazer apologia, mas até uma lixeira no shopping pode mostrar o valor de um obrigado. E, por incrível que pareça, as pessoas mais gentis que eu conheço são aquelas que não tiveram muita oportunidade, mas levaram e levam suas vidas da melhor maneira, sem querer passar por cima de ninguém.

Na vida, algumas relações serão conduzidas horizontalizadas (como o caso de ter colegas de trabalho, amigos, família, namoro), ou verticalizadas (relação chefe – funcionário, principalmente). E, antes de qualquer coisa, como já dito, nada torna uma pessoa diferente da outra, muito menos um cargo. Talvez a responsabilidade, o salário ou as oportunidades, mas somos todos iguais no final. A grande diferença que vejo, sempre, é o modo com que as pessoas se tratam. E isso é independente da posição que a pessoa ocupa em relação a outra.

O que acho necessário, cada vez mais, é atentarmos para como lidamos com o nosso ambiente e o que entregamos a ele. Claro que, quando ele nos dá amor, é mais fácil dar amor de volta. Quando ele é duro, é pior. Ainda assim, qualquer melhora ou mudança onde vivemos começa numa atitude nossa. Muito dessa atitude vem de nossa educação. Num mundo tão bruto em que quase todos os dias nos chocamos com as notícias dos jornais e da televisão, ser uma fonte de gentileza e educação pode fazer a diferença.

[ Gustavo Lacombe ]

Simplista Demais

tumblr_mebxlqHRxy1rkpgkjo1_r1_500

Acredito que todos nós, antes mesmo de conhecermos melhor uma pessoa, fazemos ela passar por um filtro que, no fim, vai dizer como devemos tratá-la. Um pré-conceito hipócrita que todos temos, mas não admitimos. É real: todo mundo, de certa forma, acaba rotulando quem aparece no caminho. E há quem aprenda que isso é ruim e que as pessoas precisam de tempo para se mostrar como são. Entretanto, há quem prefira estereotipar e pronto.

Nenhuma outra visão será aceita.

O que acontece nesses casos é que deixamos passar muitas pessoas que poderiam contribuir e enriquecer o nosso viver de alguma forma. Gente que poderia se tornar um amigo – ou até um amor -, mas que são repelidas por conta da besteira de pensar que elas se dividem entre “pra casar”, “pra se divertir” ou “pra manter distância”. Sério, ao sermos simplistas não conseguimos entender que ninguém é tão simples assim.

Então por que será, eu fico me perguntando, que a gente insiste em fazer isso? O cara que era galinha quando solteiro nunca vai ser capaz de levar uma mulher à sério? A mulher que saiu e transou na primeira noite nunca será uma mulher para namorar e casar? Ah, quem dera fôssemos nós classificáveis. Seria quase como ir às compras. Cada pessoa com sua etiqueta referente até onde aquela relação poderia ir, o que poderia oferecer, quais erros poderia cometer. Cada qual com seu rótulo. Seria simples.

Mas simplista demais.
Não, obrigado.

(Gustavo Lacombe)

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos

Não tem outra forma de dizer isso

Imagem

Você é o amor da minha vida. Não, não sou mais um cara falando da boca pra fora pra terceira pessoa no ano. Não, não estou desesperado, carente, sozinho, nem nada parecido com isso. Não, não sou uma exceção à regra. Sou apenas alguém que chegou a conclusão que não preciso mais procurar, não preciso mais bater à porta de amor de nenhum, não preciso mais perder tempo em noitadas sem sentido.

Você é o amor da minha vida. Sim, estou falando isso agora, depois de ter errado muito, ter pedido tempo, ter feito você sofrer, ter feito você chorar, me perdoar e não prometo parar. Quem vai saber o futuro? Mas, daqui pra frente, eu vou tentar fazer com que suas lágrimas sejam apenas de alegria. E sim, estou falando isso hoje, quando muitos apontarão pra mim e dirão que sou muito novo. E daí? Quero ter tempo suficiente para te aproveitar ao máximo.

Você é o amor da minha vida. Existe momento certo para tomar essa decisão? Sentir isso no peito? Se dar conta de que falta um pedaço no meu mundo? Me declarar? Vou correr todos os riscos, ir até onde for preciso e não sei como será minha vida sozinho. Não sei porque, hoje, só consigo enxergar meu futuro contigo. Um futuro leve, risonho e cheio de sonhos – que vamos realizar um por um.

Você é o amor da minha vida. Não tem outra forma de dizer isso. Fosse um clichê, uma analogia, um trocadilho, uma metáfora, uma moral da história, ou qualquer outro recurso gramático ou literário. É você, sempre foi e será. Te conhecer foi um acaso, nosso amor foi sorte e nós dois juntos é destino. Ou qualquer ordem que faça sentido. O que importa é a verdade embutida no sorriso: você é o amor da minha vida.

(Gustavo Lacombe)