Imagem

Posso te Beijar?

Posso continuar te olhando? Tá tão bom. A visão é gostosa, seu sorriso é lindo e existe uma energia que eu não sei de onde vem, mas que emana uma coisa boa. Algo de querer chegar junto, sentir o toque, arrepiar a pele e ser feliz. Deve ser isso. Você tem cara de ser alguém feliz. Alguém que vale a pena ter por perto, de querer estar perto. Mas eu posso ficar ali só te olhando. Ou posso chegar mais perto? É como se aproximar demais de uma miragem.

Pra onde vai meu medo de você desaparecer?

Posso continuar aqui conversando? Desculpa o mal jeito e a timidez, mas é como eu fico perto de quem me ganha com esse barulho bom de sorriso sem culpa, sem pressa, sem amarras. E eu vou me interessando cada momento mais por você, pela tua história e por esse teu dom de hipnotizar atenções alheias no meio de tantos estímulos aos olhos. Se você reparar bem, tem gente achando que sou sortudo só de ficar aqui do teu lado.

Então, eu posso dizer algumas coisas que passaram voando aqui pela minha cabeça? Eu não sou desses de acreditar em Destino, mas você tem noção de que somos culpados por estarmos aqui hoje? Nós demos todos os passos necessários para que o encontro acontecesse. Não existe isso de “eu ia pra outro lugar hoje e acabei aqui”. Era aqui que deveríamos estar. E o que a gente faz com esse encontro, claro, é problema nosso, mas já é alguma coisa estarmos aqui.

Posso chegar mais perto ainda? Teu cheiro é muito bom. Tua voz tem um tom agradável, daquelas que você poderia deixar lendo um livro, contando uma história ou dando as notícias no rádio sem se cansar. Aliás, eu não me canso de te olhar. Não me canso de reparar nos teus olhos castanhos e na tua tatuagem que se mostra nas costas pela abertura da blusa.

Sexy. Desculpa, pensei besteira.

Posso continuar tentando arrancar sorrisos seus? Posso tentar ser a melhor companhia que você já teve em tempos? Posso sentir seu cheiro de novo? Eu sei que são muitas permissões em pouco tempo e a pergunta que no fundo eu queria fazer ainda não criou coragem para aparecer. Só que é inevitável. Se você já me leva em tantos sentidos, falta pouco pra me levar inteiro.

– Posso beijar você?
– Pode.

[ Gustavo Lacombe ]

Para comprar meus livros, acesse:
bit.do/Lacombe

Imagem

Quando Eu te Beijo Sorrindo

Eu sempre fui avesso a essas coisas de Amor. Sentimentalidades, sabe? Sou daqueles tipos discretos, mas que acabam sendo confundidos com duros ou que não tem tino pra coisa, mas acho que é uma grande besteira. Algumas pessoas gostam de sair falando e se declarando, eu apenas guardo o que tenho para dizer e fazer para a pessoa que precisa me ouvir e receber os meus gestos.

Nesse caso, você.

Desde que você chegou, é um fato, eu venho percebendo como eu mudei. Não só eu. Meus amigos já colocaram até apelido pro casal e parecem que querem nos casar até mesmo antes do pedido oficial de namoro. Se é namoro, rolo, confusão ou só um romance no início, eu não sei. Não quero ter certezas, mas apenas continuar com a alegria de saber que as coisas que vem de repente também são bem-vindas.

Esse riso é novo, essa alegria é nova, esse querer estar perto é novo. Tem acontecido tudo novo. E eu quero te mostrar, a cada dia, o quanto gosto de ter por perto, de receber os seus carinhos e a felicidade de não querermos correr com nada. Dos beijos lentos ao afago no cabelo quase que involuntário, tudo vem se tornando cada vez mais natural.

Como abrir os olhos, lembrar de você e sorrir.

Sorriso esse que aparece ao parar na porta do teu prédio e ver saindo pelo portão. Sorriso esse que insiste em ficar no rosto, deixando marcas de expressão nas bochechas e me fazendo ficar com cara de bobo – facilmente denunciada quando estou no meio das pessoas. Sorriso esse que dá as caras até mesmo sozinho, lendo uma mensagem no celular ou olhando uma foto de nós dois.

Eu, que não me acho tão romântico assim, venho pensando nessas pequenas coisas de casal, nessas surpresas em cada encontro e o que fazer de diferente pra te surpreender. Eu, que quando te beijo sorrindo sinto o sangue voltar a lugares que pareciam esquecidos, só tenho a agradecer por tudo isso de lindo que você me devolveu.

Pra quem era tão avesso a tudo isso, descobri que era só questão de achar quem me visse com os olhos certos.

[ Gustavo Lacombe ]

Para comprar meus livros, clique aqui:
bit.do/Lacombe

Imagem

Vício

tumblr_l7qayy2jR11qczfato1_500_large

Você deve ter feito de propósito! Não é possível!

Deitei a cabeça no travesseiro e a única coisa que conseguia lembrar era o quente da tua boca na minha e como as línguas se falavam e se entendiam. Gostoso demais pra me deixar dormir sem ficar pensando longos minutos e cogitando sair correndo de madrugada só pra provar de novo o que por muito tempo eu não encontrei: química.

O lado da cama que eu deitava parecia me fazer, inclusive, lembrar das tuas mãos em mim. Era como se ainda tivesse seus dedos marcando a minha roupa, meu braço, minha perna, minha nuca. E eu, no escuro, mordendo o lábio e rindo solitário pro teto, que certamente achava mais graça ainda na minha loucura de ficar projetando nós dois nele, como se visse um filme.

E a cabeça parecia estar em looping.

Um segundo antes de adormecer, pude sentir o vento trazer seu cheiro. Como se me fizesse cafuné, alisando meus cabelos como você faz, peguei no sono com a certeza de que não estava ali sozinho. Se não ao meu lado na cama, noutra parte da cidade o nosso pensamento se conectava.

E ainda se beijava.

Dormi sem sonhar. Aliás, sonhar pra quê? Já tinha passado a noite inteira de olhos fechados no meio do seu beijo e do seu abraço, abrindo-os apenas para me certificar de que, realmente, não estava sonhando acordado. Você fez de propósito, eu sei. Sem conseguir pensar em mais nada, fiquei comigo pensando “como eu quero de novo”. Seu beijo, meu vício gostoso.

(Gustavo Lacombe)

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos