Acordar ao teu lado

Tirei os dois pés da cama e a cabeça do travesseiro, mas alguma coisa ficou lá. Naquele quarto. Enquanto você dormia e eu pensava na sorte que você tinha de não precisar acordar cedo para ir ao trabalho (já que você só pega mais tarde), fiquei admirando as suas formas, suas pernas que se precipitava para fora do short do pijama e a boca, meio abertinha que denunciava que teu sono ainda era profundo.

Abri a porta com cuidado, fui deixar o café pronto e liguei o chuveiro. A água, ainda fria, me lembrou de como gosto da quentura da tua pele ali comigo, fazendo as loucuras no box e provavelmente incomodando os vizinhos com barulhos inapropriados para serem ouvidos a qualquer hora do dia, mas que a gente sempre diz em tom de brincadeira “e tem hora?”.

Não tem.

Vesti-me um pouco apressado percebendo que ajudaria o atraso por sair de casa fora do horário e somando ao trânsito dessa cidade que a gente vive falando que um dia vai deixar, mas foi colocando a roupa que mais uma vez eu notei a delícia de tirá-la pra você, de estar perto de você, de te olhar profundamente e perceber que minha melhor camisa é teu abraço. Teu melhor vestido é teu sorriso.

Quando eu voltar, sei que não vou te encontrar aqui. A gente ainda mora em casas separadas, mas a chave que eu fiz das minhas portas é só um lembrete físico de que você já tem a mais importante de todas: a porta do meu coração. Clichê? Meio bobo? Sim, tudo isso, mas é isso que acontece quando se ama, se gosta e se tem a certeza de que a vida é dividida a dois para ser multiplicada em casal.

E se ainda precisar dizer, repetir, escrever ou colocar em um outdoor (o que pode ser demais), deixo aqui em todas as letras que precisam sempre ser corroboradas com atitudes, mas que é exatamente o que sinto neste momento em que saio e te vejo ali na minha cama: você é uma delícia.

Ah! E eu te amo muito também.

Nada Melhor Que Acordar Sorrindo

 

Ela mandou mensagem de madrugada. Escreveu um “eu acho que você já está dormindo” e acertou em cheio. Estava lá pelo décimo sono, como dizem os ditados populares. Desejei ter tido insônia e que a tivesse pegado de surpresa enquanto escrevia o resto da mensagem. Ia mandar um “tô aqui, boba”. Ao invés disso, ela escreveu um “estou aqui passando só pra te deixar um beijo”, e aquele beijo ficou ali durante umas sete horas. Sete longas horas até ser recebido. Queria mesmo era ter aproveitado a mágica do beijo ali, naquela hora, quase instantâneo, mas depois percebi que era besteira. O beijo dela me esperava. Seja pra poder encontrar minha bochecha – ou minha boca, ela não disse onde – ele me esperaria. E eu ria sozinho no quarto. Me ria de chamar atenção de quem passasse do lado de fora do cômodo, certamente se perguntando o que será que poderia já ter acontecido comigo naquela hora. “Acordou louco”, talvez pensassem. Louco mesmo. Perdido de Amor. Agarrado ao travesseiro como se fosse o próprio corpo dela. Fechando os olhos e vendo outro par na minha frente, os olhos dela. Tudo por conta de uma mensagem que tinha ficado a noite inteira ali. Um beijo enviado com carinho e que guardou meu sono. Eu teria dormido muito bem se a tivesse visto assim que chegou, mas ler aquelas palavrinhas logo pela manhã já tinha me feito acordar sorrindo. E nada melhor que acordar sorrindo por quem a gente ama.

[ Gustavo Lacombe ]

“Destino, Acaso ou Algo Mais Forte”, meu primeiro livro, pode ser encontrado aqui:
http://www.bitly.com/LivroLacombe

Bom dia, Meu Amor.

tumblr_li0gifFgiM1qcsdtvo1_500

Hoje eu acordei pensando: quantos caras gostariam de ter a sorte de ter alguém especial como você para dar bom dia todos os dias? Fui mais além. Pensei em quantas pessoas gostariam de simplesmente ter alguém para chamar “meu bem”, “meu amor”, ou qualquer outro apelido que viesse logo após um desejo de que o dia seja bom? E, em meio a todos esses pensamentos, entendi mais uma vez o quanto tenho sorte de ter você na minha vida.

Ainda assim, antes da mensagem, procurei uma foto nossa na cabeceira só pra matar a saudade do seu sorriso. Morena, ontem eu reli umas conversas nossas sem querer enquanto procurava pelo telefone daquele amigo que você tinha me passado. Não achei o número, mas fiquei perdido por entre as palavras que trocávamos no antes, durante e depois da conquista. E vi a evolução de um casal.

Quantas histórias não desejariam ser assim como a nossa?

Fico vaidoso pra falar da gente, claro. Vê se eu não sorriria alguns centímetros a mais com o coração a cada vez que toco no seu nome. Insisto, pra quem quer que diga algo sobre nós, que é diferente de tudo que eu já vivi. É sereno e intempestivo. É racional sem deixar de ser emotivo. É lógico com tendências suicidas pra qualquer lado que indique falta de nexo. Aquilo de completar dois seres que já se achavam completos.

Transbordando-os.

Então, pequena, só queria te dizer o quanto me fez bem acordar e entender tudo isso que eu sentia pelo simples fato de lembrar de você. E me dei conta de que todos os dias sinto o mesmo, e que quero sentir isso por todos os meus outros dias. Existente na minha vida por conta de um Destino, Acaso ou algo mais forte. Algo que costumamos chamar de amor.

Bom dia, meu amor.

[ Gustavo Lacombe ]

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos