Vai

Vai – Gustavo Lacombe

Vai, mas some
Que de tudo que deixou
Nem ao menos um fio
Do cabelo que eu abraçava
Eu quero ver

Vai, mas corre
Que minha saudade
Não te alcança na estrada
Nem pensa em ao menos
Tentar

Vai, mas confie
Que faz o certo
E o melhor pra você
Mesmo que eu discorde
Em tudo

Vai, mas troque
O nome, telefone, endereço
Tudo. Porque não haverá no mundo
Lugar que você possa se esconder
Do meu amor

Poesia é uma coisa complicada. Eu gosto de escrever, mas prefiro quando não tem muita metáfora, muitas figuras de linguagem. Sei que fazem parte e deixam qualquer texto mais bonito, só que as coisas quando são ditas diretamente, por mais que fiquem ‘na cara’, são mais honestas. São melhores. Eu adoro poesia, por mais complicada que seja. Espero que vocês gostem dessa.

Bom domingo!

Sem escrever

Hey, galera!

Ontem fiquei sem escrever. Estava voltando de viagem e não tive tempo nem disposição para atualizar a página. Me dei um dia de folga mesmo. Às vezes é ótimo. Pensei muito no que escrever, e também pensei que bom por não estar escrevendo. É um exercício diário e doloroso. Uma ideia que foge e gente não tem como voltar nela, ou uma atualização que não entra e você fica doido porque não se lembra do que escreveu. É complicado.

Hoje vou tentar voltar ao ritmo normal. Programei algumas postagens (pra hoje 10/09) e pelo menos o dia está salvo. Escrevendo aqui, também, pra pedir, mais uma vez, desculpa por não ter estado presente na timeline de vocês. Confessem, foi até uma folguinha boa. Voltando a nossa rotina, espero que tudo dê certo pra vocês nesse restinho de ano que ainda temos.

Como ouvi por aí: “Até dezembro!”

Até dezembro muita coisa pode acontecer!

😉

G. Lacombe