Puzzle

Puzzle – G. Lacombe

Comecei um quebra-cabeça, quer dizer, começaram por mim. Já o peguei com algumas peças no lugar, outras me deram e algumas eu achei perdidas por aí. Fui tentando, certas não encaixavam e várias estavam só fora de posição. É preciso ter criatividade em alguns momentos para poder colocar todas juntas.

Esse que faço não tem caixa com uma figura nem manual de melhor disposição.

É tudo na base da tentativa e erro. Erros normais, erros sutis, erros grosseiros. Todos estão lá. Peças que colocamos de qualquer jeito, acabamos estragando, tem aquelas que a gente nem vê, ficam embaixo de outras escondidas. Ah, tem aquelas que parecem que cabem, mas não servem pra nada.

Assim, vou aprendendo que, no quebra-cabeça da vida, o lugar das peças não é o mesmo pra sempre e que certos encaixes ficam gastos sem aceitar mais nenhuma peça no lugar. Pai, mãe e melhores amigos não podem ser substituídos. Um grande amor também não. Outras peças ficam frouxas, não ficam boas, é estranho.

Sei que, um dia, não haverá mais nada a ser acrescentado ao meu puzzle. Quando essa hora chegar, quero poder olhar pra tudo que construí e sorrir satisfeito com todos os encaixes que reuni. Satisfeito com a vida.

Completude

Completude.

 

Palavra bonita, não?

Pensei nela por acidente hoje escrevendo um texto e parei pra me perguntar quantas vezes já me senti assim, ou pelo o que já me senti assim. É realmente muito complicado você dizer: me sinto completo. A gente tem essa tendência de achar que nos falta algo, que não estamos satisfeitos com o que temos. Será que isso tudo vem da sensação que o marketing nos passa de quanto mais nós tivermos melhor? Será que um simples sorriso não nos ajuda nessa busca pela felicidade. Sim, porque se sentir completo é conseguir atingir um status de felicidade que beira a utopia. Tomara que possa ser menos que isso. Que essa sensação gostosa de estar no caminho certo e completo seja algo extraordinário, mas que não demore tanto para chegar.

E você, já se sentiu completo hoje?

 

“As coisas boas vem com o tempo. As melhores de repente.”