APRENDER COM OS “NÃOS”

Você (e eu e todos) precisa aprender a lidar com os “nãos” que entram sem ser chamados pelo caminho. E, perceba, não é aquele “sim” que determina a trajetória, mas todas as negativas que aparecem.

Claro que uma porta aberta é importante para mostrar o caminho, mas enquanto a buscamos, são as rotas fechadas que nos testam, que nos experimentam, que perguntam insistentemente o quanto queremos algo. Elas são como as pedras que bloqueiam o curso do rio sem impedir completamente a sua passagem.

Assim, elas também nos ajudam a ajustar equívocos, rever erros e voltar à carga de forma mais certeira.

Frustração? Óbvio que ocorrem. Não somos de aço e, dependendo do momento em que estamos, nos vemos à beira de um poço de sentimentos aflorados, abraçados pela iminência de um caos que parece pôr tudo a perder.

O que é necessário depois de mais um desses quebra-molas da vida que nos fazem diminuir a velocidade? Engatar novamente a marcha certa e seguir. Nessa salada de analogias, essa é a única receita de bolo que existe para quem busca um objetivo: não desistir.

#GustavoLacombe