Modo de escrita

Sento em frente ao computador e vomito uma idéia. Eu gosto dessas assim, que saem inteiras de mim e nem ao menos pedem passagem pelo filtro das palavras. São essas aí mesmo, bonitas ou frias, cruas ou com erros, mas que preenchem o papel na melhor forma possível, com peso e vontade.

Difere da vida. Vivida de uma vez, como um poema que já tem todos os versos escritos no pensamento e apenas são transcritos para o papel, perde-se o gostinho de aproveitar cada momento dela. E pode achar estranho eu fazer minha caminhada com palavras que gosto de soltar sem medo, mas viver sem o mesmo acelerador.

Não é medo de arriscar, que fique claro.

De um modo geral, fico ansioso quando escrevo. Se tenho uma boa sacada, fico com receio de ter sido a última. Então, a agarro e vorazmente me aproveito dela. Calma, diria minha professora de literatura. Existem textos que pedem para serem jogados na gaveta.

Esquecidos? Talvez.
Frutos muito verdes precisam de maturação.

E que não me julguem. Eu adoro uma contradição. Tanto que, posso citar algumas coisas que escrevi e que só melhoraram depois de um segundo olhar, um tempo para crescerem e serem mais do que uma tinta jogada na tela à la Pollock. Porém, é divertido parir um escrito de vez. Os deslizes no português são a prova de que estava empolgado.
Do tanto de tesão que estava em fazê-lo.

Quando me empolgo na vida, acabo comentendo alguns errinhos assim também. E quem não comete equívocos por falta de atenção decorrente de uma excitação? Você não? Que sem graça.

Erra, cara! Aquele pequeno, perdoável, como um ‘s’ esquecido no plural de uma palavra grande em que se culpa o teclado. Ou uma palavra esquecida, mas que não compremete o entendimento. A vida é errar e aprender. Com desejo, claro, de sempre poder ter mais.

Teu melhor texto é tua própria história. Aí, sim, não a escreva de vez.
Estranho conselho se comparado ao que eu disse sobre meu modo de escrita, né? Eu te disse, sou contraditório.

Não ligue. Nem tudo na vida precisa ter tanto sentido assim.

( Gustavo Lacombe )

Aonde Nós Vamos?

Tem dias que a gente acorda e se pergunta:
Onde está aquela pessoa que me fez tão bem?

– Em qualquer lugar do mundo, que ela esteja bem.

E o dia vai passando e você lembra que pensou nela.
E se ela também tiver pensado em você? Ontem, por exemplo:

– Quando quer que tenha sido, que ela esteja bem.

Dorme, sonha, acorda. Vive. Passa um tempo.
Recorda-se mais uma vez de quem te fez tão bem.

– Quantas vezes mais tiver que lembrar eu lembro, mas tomara que ela esteja bem.

E não passa.
Fica aquele pensamento na cabeça “onde está aquela pessoa?”

– Além de lá, com certeza aqui dentro de mim também está.

 

(Gustavo Lacombe)

Foto

Foto – Gustavo Lacombe

Eu olhei uma foto sua hoje e uma coisa estranha percorreu meu corpo. Não foi um arrepio qualquer. Começou do lado direito do meu pé, subiu pelas pernas e fez estremecer o último fio de cabelo na nuca. Acompanhado de um sorriso, foi a prova de que a sua imagem mexe tanto comigo quanto à época em que nos conhecemos, começamos a ficar e iniciamos essa história.

Ficou um tempo. Durante alguns segundo, eu com o seu rosto na tela, fui me dando conta do que já sabia, mas reforçava em certeza. Gostar de alguém não é a coisa mais simples do mundo. Só que, ao mesmo tempo, é. Bater o olho e ficar mudo. Sentir que todo o peso do mundo se foi e nada importa agora entre eu e quem eu gosto. Queria entrar pela tela e estar ao seu lado na foto.

O coração bateu apertado, a alma se aninhou em algum lugar para tentar se esconder da dor que a sua falta me causa, e uma angústia de saber que não poderia te ter nos próximos dias me fez perder o fôlego por um instante. Aconteceu tão rápido e lento que duvido que o tempo não tenha se confundido. Meu medo era ficar preso naquela saudade.

Quando passei pra foto seguinte, já anuviada a tensão, relaxei no sofá. Permaneci ainda uns minutos olhando com cara de bobo para os olhos da menina que me fazia esquecer de qualquer coisa e viajar em pensamento para o lado dela. A verdade é que você vai estar sempre comigo, morando dentro de mim.

Semana para colocar as coisas no lugar

Parece que a gente já acorda diferente, né?

Essa semana teremos um feriado. UHUL! Quinta já vai ser sexta, sexta será sábado, sábado jogará no seu lugar e domingo, bom… domingo sempre vem antes de segunda. Mas vai ser uma semana boa. Curta e boa. Hora da gente colocar algumas coisas no lugar e aproveitar o tempo livre pra fazer o que mais gostamos. E você gosta de fazer o que? Pra mim é redundância dizer “escrever”. Isso tá na cara. Só que tem mais.

Eu toco violão, canto, gosto de sair com os amigos, tomar uma gelada, ir à praia. A verdade é que eu gosto de aproveitar enquanto posso. Tem muita gente que depois, quando a rotina aperta e sufoca, fica se perguntando onde estão aquelas horas livres e os amigos que podiam fazer companhia? Muitas coisas a gente precisa deixar para amanhã e outras ficaram no ontem, sem que possamos fazer nada, e o hoje é muito curto. Precisamos saber o que fazer com cada segundo que a vida tem o dom de nos dar.

Então, galera, aproveita a semana com feriado pra reprogramar algumas coisas, ajeitar outras, repensar as prioridades. Sei que fazemos isso várias vezes no dia, no mês, sei lá, mas vamos colocar em prática. Setembro já chegou e o ano já está começando a pedir pra ir embora. Ainda tem muito tempo? Sim. Mas vai passar tão rápido quanto os segundos que voaram enquanto você lia este post!

Boa Semana a todos!

Completude

Completude.

 

Palavra bonita, não?

Pensei nela por acidente hoje escrevendo um texto e parei pra me perguntar quantas vezes já me senti assim, ou pelo o que já me senti assim. É realmente muito complicado você dizer: me sinto completo. A gente tem essa tendência de achar que nos falta algo, que não estamos satisfeitos com o que temos. Será que isso tudo vem da sensação que o marketing nos passa de quanto mais nós tivermos melhor? Será que um simples sorriso não nos ajuda nessa busca pela felicidade. Sim, porque se sentir completo é conseguir atingir um status de felicidade que beira a utopia. Tomara que possa ser menos que isso. Que essa sensação gostosa de estar no caminho certo e completo seja algo extraordinário, mas que não demore tanto para chegar.

E você, já se sentiu completo hoje?

 

“As coisas boas vem com o tempo. As melhores de repente.”