Não sei. Só sei que te amo.

tumblr_lk8h75LSEL1qdj3jvo1_500
Não sei porque te amo. Assim, de forma tão objetiva, não sei. E te garanto que essa é a melhor resposta que eu vou poder te dar. Mas, se você quiser saber mesmo, até tento explicar.
 –
Sabe essa pessoa que sou hoje? Que algumas elogiam e outras falam que está no caminho certo? Sabe essa personalidade diferente de um tempo atrás, esse olhar tentando ser mais maduro e grato? Sabe esse cara que já não age tanto mais por impulso e passou a pensar mais no outro? Sabe essas descobertas sobre o que realmente é o amor?
 –
Eu sei que você sabe que tudo isso aconteceu comigo desde que você chegou.
 –
Eu pude, enfim, entender e aprender sobre dar e receber carinho de alguém. Eu, então, amei completo – da ânsia do encontro à paciência do tempo. Consegui trabalhar defeitos e enxergar meus medos de forma diferente. Compreendi, de certo, que um relacionamento é feito na primeira pessoa do plural, respeitando as opiniões vindas das vozes singulares.
 –
E me permito falar tão francamente de todas as mudanças que aconteceram comigo e aqui no meu canto porque é apenas tentando enumerar tudo isso que vou chegar perto da tradução de todo esse bem que me fez. Um bem de leve e sorriso amor. Um bem que, às vezes, não sei porque fez tanto bem assim em mim. Aí, volto à resposta direta (ou evasiva).
 
Por que te amo?
Não sei. Só sei que te amo.

 

[ Gustavo Lacombe ]
#ela

Tudo tem um Porquê

tumblr_static_tumblr_static__1280

Dizem que tudo acontece por um motivo.

Existem tantos nomes bonitos que damos aos acontecimentos. Destino, sorte, acaso, propósito. Falam também que tudo tem uma razão, mesmo que não consigamos enxergá-lo agora. Quantas vezes você já acreditou em coincidência? Quantas vezes você achou que aquele momento era para acontecer porque você se esforçou, lutou e julgou merecido? Ou, ainda, quantas outras vezes você se pegou falando a expressão “por um acaso…” sem perceber a força dele.

É o que dizem, né?, tudo tem um porquê.

Nem todos os caminhos são escolhidos. Alguns são compulsórios. Somos atirados neles e é preciso esfregar muito bem os olhos para acreditar no que está passando. Outros são verdadeiros presentes que se abrem em forma de oportunidades. É um eterno perde-e-ganha. São passos em trajetórias que nem sempre se mostram fáceis, mas acabam nos desenhando dificuldades. Mostram obstáculos que, para qualquer pessoa que tenha um sonho, se tornarão apenas detalhes.

O que não te dizem (nesses ditados batidos que a rotina coloca nas nossas timelines diárias) é que você sempre pode fazer algo diferente com o que acontece. O jeito que se reage a cada situação pauta como ela será encarada dali em diante. Don Quixote, se o conhecem, via nos moinhos de vento dragões que cuspiam fogo, mas mesmo assim os enfrentava. Um lunático para alguns, um sonhador para outros.

E é exatamente assim. A vida é dividida entre aqueles que acreditam e os que estão ocupados demais desdenhando dos que acreditam.

Claro que sempre surgirá quem diga ter “falta de sorte” ou que tudo aconteceu “porque estava escrito”. Ainda assim, sempre haverá uma história a ser contada sobre como se tentou e batalhou até que aquilo desejado acontecesse. Porque, se você quer muito alguma coisa, não importa quantas derrotas se conheça. Busca-se a vitória.

O que é pedido de nós, em certos momentos, é que não nos prendamos às definições do dicionário para o que ocorre, mas que se encare com determinação e coragem o que aparecer, tendo medo ou não. Felicidade é apenas um ponto de vista pelo qual costumamos não olhar, mas está sempre pronta para aparecer. Arrisque viver.

[ Gustavo Lacombe ]

 

Sinal Bipolar

tumblr_static_tumblr_lxvho0g9hd1qa7cqao1_500_large

A emoção é um tanto bipolar.

Às vezes, se assemelha a uma ligação de telemarketing. Alguém vem, demonstra interesse, mas ela deixa a pessoa no limbo. Horas, dias e, quem sabe, mais tempo até se obter uma resposta. Noutras, é quase como nos filmes americanos em que alguém assobia pra um taxi e ele brota, instantaneamente. É alguém piscar e o interesse aflorar, sem muitas perguntas. Você somente sabe que quer.

Nas duas situações existe uma coisa em comum e óbvia: o interesse. É aquele famoso “quando tem que acontecer acaba acontecendo”. Ignorando diversos fatores que complicariam a equação aqui, é o simples fato de saber que uma pessoa desperta algo em você – sendo isso algo bom, claro – ou não. Se o coração vibra, se os olhos não desgrudam e/ou se o pensamento se deixa embalado pelas lembranças do outro. Ou, então, se pura e simplesmente você fecha a porta e sabe que não quer nada.

De verdade: não é tão difícil, a gente é que complica.

Existem, sim, aqueles casos em que ficamos meio reticentes e não sabemos se abrimos a porta, se deixamos uma janela com a fresta aberta ou se fingimos não ter escutado nada do lado de fora. Quantas histórias você já ouviu por aí de quem decidiu se entregar, ouviu o lado da emoção e se ferrou? Aquelas pessoas que ficam dizendo “eu deveria ter escutado a minha razão”, sabe? Pois é. Acredite em mim, elas não tem culpa nenhuma.

Ainda que alguns indícios de que as coisas podem dar errado estejam na nossa frente, a emoção é forte o bastante pra tapar os olhos e dizer “siga”. E você segue! O coração tá mandando, né! Quando o interesse não nasce, tudo bem. É fácil. Mas quando a vontade invade o corpo e a mão começa a coçar pra mandar mensagem, segure-se. Sinal amarelo, pense duas vezes e cheque se é isso mesmo que quer ou mesmo se precisa. Se “não”, sinal fecha.

Se acender luz verde, larga o freio.
Só não se esqueça de apertar o cinto.

[ Gustavo Lacombe ]

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos

Preserve-se

tumblr_kyioac6vus1qzl6mbo1_500_large

Se eu fosse você, continuaria me preservando. Sabe por quê? Porque se entregar ao amor é doloroso. A gente dá a cara pra bater e apanha, sendo recíproco ou não. Até mesmo quando correspondido, a outra pessoa desliza, comete um erro. Quem nunca erra? Me diz. Quem é tão perfeito assim que não provoca uma briga, não sente um ciúme? Acaba, num momento infeliz, falando ou fazendo uma besteira? Quem?

Fica na sua, procura outra pessoa. Esse que tá aí atrás de você? Esquece! Quem desperdiçou uma chance não merece a segunda. principalmente se você ainda sente alguma coisa. Porque ela sabe, e vai continuar agindo do mesmo modo. Quem acredita que o outro mudou é otário. Ninguém muda! Somos todos iguais na essência e nos mantemos os mesmos. Vide ele: egoísta, mau caráter e um bom mentiroso.

Nunca mudará.

Aproveita e apaga o que vocês já passaram. Até as lições. Tanta coisa pra você guardar e vai levar as burradas que foram feitas só pra, lá na frente, lembrar dele? É, porque se você se recordar da situação, vai acabar lembrando dele. Então, arranca tudo de vez. O que foi bom, o que foi ruim e o mais ou menos. Ninguém precisa de coisas mais ou menos ou mornas.

Agora, eu tô falando o que eu faria. Mas, você sabe, conselho se fosse bom, a gente venderia. E eu to falando isso tudo porque eu gosto de você e não quero te ver sofrendo. Continue, cara. Se preserve. Porque o amor – essa coisa nociva que faz a gente dar segundas chances a quem não presta – só serve pra nos fazer quebrar a cara. De novo, de novo e de novo.

Não insista. Preserve-se.

(Gustavo Lacombe)

Desliga a Razão

Meu coração te vê, desliga a razão, e nem liga em sofrer as consequências. Ri, enlouquece, perde a consciência, e não se contenta em te ter pouco tempo. Irresponsável, só lembra que dói quando não te tem por perto. Mas quando te vê mais uma vez, se sente refeito e pronto pra recomeçar o ciclo que tanto o maltrata por dentro. Não adianta nem mais avisar. Parece um ópio, um vício. Olhar pra você e não querer mais é muito difícil. Eu não consigo. Meu coração acha impossível.

( Gustavo Lacombe )