As Migalhas Que Você Aceita

Eu sempre fico triste quando você me diz que ele te quer por perto, mas que não abre mão da liberdade encontrada na vida de solteiro dele. Fico triste porque você se coloca nas mãos de um cara que não faz questão alguma de te assumir, de te dar colo, de ser bem mais que um sexo certo. Te vejo fazendo uma força descomunal para encontros, saídas e motéis que, depois de chegar em casa, apenas arrastam o teu psicológico pra um período de abstinência. Talvez ele seja teu vício. Mania. Costume. Dose temporária de algum carinho que nem sei se outra pessoa te propõe, mas que cegamente você acredita só encontrar naqueles braços. Não quero ser cruel ao dizer isso tudo. Não quero ser alguém que prefere te ver mal que com ele, mas esse argumento de que você não aguenta ficar longe é o pior de todos. Ele te separa da coisa mais preciosa dentro de um relacionamento à dois: a felicidade. Percebe como que “ser feliz” e “estar com alguém” são coisas que caminham juntas, ainda que possam ser vividas separadamente? Claro, eu posso ser feliz sozinho como posso ter alguém e ser infeliz. Olha pra você: tem metade do homem, fica feliz por alguns instantes, mas depois se vê sozinha e lutando para ter as migalhas do afeto, os restos da atenção. Ele não vai deixar um sábado à noite com os amigos por você. E nem vai te levar junto. Você já não é mais tema das conversas de família. Você não ocupa mais um lugar na agenda ou na rotina. É sempre “vamos ver quando dá”, “a gente combina”, “tá de bobeira hoje?”. E, do lado de cá, somos nós, seus amigos, que aturamos tuas crises, teus choros, tuas ligações depois de ver alguma foto com alguma garota em algum lugar. Aturamos porque te amamos, mas dá vontade de te sacudir algumas vezes e dizer “por que você não engole esse amor e aprende a se valorizar?”. Eu tento, garota, mas ninguém desce amor-próprio goela à baixo de alguém. Talvez você precise quebrar (mais) a cara. Eu vou estar aqui pra te ajudar sempre, mas não posso calçar seus sapatos e andar pro rumo que eu julgo melhor. Eu fico triste? Fico, mas tenho certeza de que nunca é tarde para abrir os olhos. Um dia você vai ver que sentir amor por uma pessoa é uma coisa, ter um relacionamento com ela é outro. E, quando só um lado gosta, é impossível ir a qualquer lugar.

[ Gustavo Lacombe ]

O Melhor Abraço, a Maior Armadilha

Todo abraço esconde em si um lar e uma armadilha.

Depende, claro, de qual é a intenção da pessoa que o dá. Sendo inocente, pode se configurar em abrigo, carinho e se transformar em lar. Usado para outros fins, funciona quase como areia movediça, teia de aranha, cola de sapateiro, superbonder, açúcar pra criança ou qualquer outra analogia que possa representar o que gruda, não solta, causa vício ou se quer fazer de sempre necessário. Uma ambiguidade capaz de confundir corações, dar nós em mentes, atiçar vontades, definir a linha tênue entre tudo o que se quer e tudo que se pode ter.

Talvez seja esse o motivo que nos faz olhar diferente para aquela pessoa que reúne o melhor dos dois mundos num só. Quando a gente encontra quem sabe nos envolver, passar os braços em “X” por nossas costas e guardar no gesto toda a carga de ternura e provocação, pensamos tirar a sorte grande. Bingo, diz o coração baixinho enquanto se ajeita mais uma vez no peito do outro. Jackpot, diria aquele outro que se acostumou a tratar o Amor como um jogo de azar, onde na maioria das vezes o jogador sempre perde.

É, sempre existe o risco.

Como dito, existem abraços capazes de confundir qualquer pessoa. Quantas vezes você não ouviu o papo de um amigo que se apaixonou e aproveitava esses momentos para tirar uma casquinha? Ou, quando a paixão é platônica, tinha naquele instante em que os corpos se aproximavam o limite entre se jogar e se esconder. Difícil. Ainda assim, é possível fazer transbordar todo o afeto por alguém no meio de um abraço. Quantas vezes você não precisou de um desses pra segurar a barra de um dia ruim?

Diria, então, para você tomar cuidado. Quando os recebe e quando os dá. Há um grande perigo, sim, ao tentar fazer de uma pessoa sua casa. E, ao contrário, pense bem antes de querer se fazer de armadilha. Despertar algo puro no outro para fazer disso um teatro é ridículo. Entretanto, tendo a certeza de que vale o risco, deixe-se prender, provocar e devolva tudo na mesma intensidade. Enrole-se, embosque-se, prenda-se, abrace.

E deixe o corpo ir.

[ Gustavo Lacombe ]

Curtiu? leia mais!

Para comprar meus livros, acesse:
bit.do/Lacombe

Viva a Vida

tumblr_lrxq5uvRG01r3s49co1_500_large

Jogue suas reclamações viciosas na parede e não se importe com a bagunça feita. Tudo exposto, do que precisa ser evitado ao melhorado, do ignorado ao subestimado, do revisto ao que precisa ser feito. Está tudo ali, bem na sua cara. Mas pra quê enxergar os defeitos se seguir caminhando resmungando é muito mais gostoso? É mais cômodo, mais interessante. Né? Pelo menos é o que faz parecer.

Nem tudo vai sair como o planejado. Se esse for um pensamento, pode desistir. Nada fica no lugar certinho. Quer mudar algo? Não pense apenas. Aja. Comece por aquilo que te perturba menos, mas que já faria alguma diferença se mudasse. Saia do conforto dos pensamentos negativos de que nada dá certo. Se você continuar pensando assim, nada dará mesmo.

Aprenda a tirar sorrisos das piores situações passadas. Elas já passaram mesmo. E, o que vier de mal, não deixe que ele se propague dentro de você. É difícil enxergar que se pode mudar, mas é uma questão de atitude. Tudo depende do peso que você aceita carregar. Tudo vai de acordo com os desejos aliados às vibrações que você manda pro mundo.

Ele dá voltas, esqueceu?

Seja a mudança necessária para reduzir a sua própria bagunça, ou pelo menos para se achar melhor dentro dela. Não olhe para o outro com inveja, aprenda a tirar exemplos. Seja a mudança da qual você tanto fala que pretende viver. Seja você, mesmo que para esse novo você um pedaço seu precise ficar pelo caminho. Não tenha medo de ir a um lugar diferente.

Tudo muda conforme se vive. E só não vive quem já está morto. Para uma próxima vez que venha a jogar suas reclamações na parede, espero que elas tenham menos cor e sejam menores ainda. Ninguém se transforma da noite para o dia. Tenha paciência consigo, mas não perca tempo. Não reclame e esmoreça. Reaja e ande.

Viva a vida.

[ Gustavo Lacombe ]

http://www.facebook.com/GustavoLacombeTextos