APRENDER COM OS “NÃOS”

Você (e eu e todos) precisa aprender a lidar com os “nãos” que entram sem ser chamados pelo caminho. E, perceba, não é aquele “sim” que determina a trajetória, mas todas as negativas que aparecem.

Claro que uma porta aberta é importante para mostrar o caminho, mas enquanto a buscamos, são as rotas fechadas que nos testam, que nos experimentam, que perguntam insistentemente o quanto queremos algo. Elas são como as pedras que bloqueiam o curso do rio sem impedir completamente a sua passagem.

Assim, elas também nos ajudam a ajustar equívocos, rever erros e voltar à carga de forma mais certeira.

Frustração? Óbvio que ocorrem. Não somos de aço e, dependendo do momento em que estamos, nos vemos à beira de um poço de sentimentos aflorados, abraçados pela iminência de um caos que parece pôr tudo a perder.

O que é necessário depois de mais um desses quebra-molas da vida que nos fazem diminuir a velocidade? Engatar novamente a marcha certa e seguir. Nessa salada de analogias, essa é a única receita de bolo que existe para quem busca um objetivo: não desistir.

#GustavoLacombe

Mais Que Bater, É Preciso Saber Apanhar.

A Vida tem a mão pesada.

Destruidora de sonhos, ceifadeira de destinos, arrasadora de trajetórias. Um furacão que ameaça varrer uma cidade inteira do mapa. É o segundo exato em que tudo que você conhece pode mudar. Pra pior, quase sempre. Pra melhor?, queríamos nós.

Ainda assim, todas essas provações que ela nos impõe servem para testar  a força e o tamanho da nossa determinação. Você quer? Vá pegar. Mas você quer de verdade? Vá mais longe ainda pegar. Lute, enfrente, insista. Liga o foda-se. Vá atrás.

Não importa quão grande é a dificuldade, tua persistência precisa ser mais teimosa ainda. Não importa que a barreira pareça intransponível. Dá teu jeito. Aqueles que desistem ao receber o primeiro “não”, que me desculpem a franqueza, mas estão longe de estarem preparados para a Vitória.

Quem é tão especial assim que não pode conhecer o sabor das derrotas? Quem se julga tão especial que não as possa ter – até mesmo como lição? A Vida te ensina que não importa quantas vezes você vai cair, o importante é sempre se levantar de novo. Mais que bater, é preciso saber apanhar.

Se vier mais porrada, aguente.

As conquistas não são daqueles que se contentam com ganhar poucas batalhas, mas os que não temem o esforço para sair vencedor da Guerra. Outra vez me desculpo pela analogia bélica, mas acredito que todo mundo compreenda quando se é dito assim.

A Vida tem a mão pesada e bate forte.
É preciso resistir enquanto houver um objetivo preenchendo o coração.

[ Gustavo Lacombe ]