Imagem

Eu que Já te Amo Tanto

Parece que eu ainda tenho um tanto pra te dizer, um tanto pra ver ao teu lado, pra viver contigo. Parece que todo tempo junto foi pouco e o que vem pela frente me traz uma ansiedade que há muito tempo eu não sentia. Talvez seja do tanto que te quero e como diz um poeta que gosto (ou acho que ele diga algo assim), já te amo tanto e ainda nem te amo tudo. É por aí. O mais incrível do Amor, e que a gente vai descobrindo conforme o vive, é que se transforma, se expande, se refaz, se renova. E não importa o quanto eu já tenha sofrido, amado, caído, levantado; parece que sou novo de novo. O sentimento tem esse poder mesmo e é uma dádiva poder encontrar alguém que te faça sentir-se assim. Há quem rode o mundo e nunca mais encontre. Há quem desista. Há quem viva sem dar valor. E eu tenho a sorte de ter você. “Obrigado” parece pouco, até engraçado, mas diz do tempo que estamos juntos – suficiente pra te marcar na minha história, curto pra dizer que é o suficiente. Por fim, gosto de ir tateando o futuro e ir descobrindo que nos meus dias tem sempre um tiquinho a mais de você, de nós, e que a saudade será sempre o reforço da certeza do quanto nos queremos. Saudade essa que sinto dos momentos já passados, “sorridos”, amados, juntos. Saudade do que ainda vem, do que vai ser e do muito que queremos construir. Espero que numa vida dê tempo.
 
[Gustavo Lacombe]
.
.
.
 
Menção ao amigo @lucaoescritor
Imagem

Relacionamento é (BEM) Mais Que Amor

Afinal, do que são feitos os relacionamentos que dão certo?

Talvez a resposta para essa pergunta comece, justamente, pelo que faz um namoro não dar certo – ou um casamento, um ajuntamento, uma união estável etc. O que faz dar errado é ter “só Amor”, “só carinho”, “só respeito”, “só equilíbrio”. Esse “só” faz com que todos os pilares de sustentação venham ao chão e deixam apenas um deles aguentando o peso de todo o resto.

A Vida a dois não é fácil. Talvez você já tenha reparado o quanto as pessoas podem se parecer, mas são Universos totalmente diferentes entre si. Não há um pragmatismo aqui que te fará conviver bem com todas. Aliás, desista de querer agradar a todos. Nosso foco, então, volta-se para apenas uma: aquela que com quem se quer dividir bem mais que uma pipoca no cinema.

Acredito eu que a chave para um relacionamento dar certo (anotem!!) é a tão famosa reciprocidade. E por que uma palavra tão grande entra no lugar de respeito, vontade, querer, paixão ou cumplicidade? Por que toma o espaço do Amor? Ao meu ver, não toma espaço de ninguém; reforça-o. E é até simples. Reciprocidade é a correspondência mútua; é o olhar na mesma direção; é todo o conjunto de sentimentos existente em um que encontra sintonia no outro.

Veja bem, não acho que seja a equivalência do sentir.

Não é preciso carregar um Amor do mesmo tamanho para construir algo forte. Não é preciso ter o mesmo carinho, a mesma paixão. É claro que o respeito e os valores de cada um precisam ser suficientes para o outro, mas é normal se encontrar algo a mais numa das partes. Negar que todo relacionamento tem lá seus pequenos desequilíbrios é fechar os olhos para os defeitos inerentes aos seres humanos.

Aqui e agora, eu sei, você me perguntará “então, que diabos a recíproca faz nessa suposta falta de equilíbrio?”. Fácil: se todo sentimento existente num encontra correspondência no outro, se estabelece uma harmonia. Se existe a entrega mútua, o querer mútuo, a vontade mútua de acertar, o amor mútuo que acende, a saudade mútua que faz querer mais, a lealdade mútua na caminhada e toda essa mutualidade do bem, dá certo.

E assim, quando alguém te fizer entender que um relacionamento é mais que tesão, mais que vontade e até mesmo mais que Amor, talvez você entenda o que é querer alguém pra sempre na sua Vida. É quando alguém te mostra que o encaixe perfeito é justamente feito pelo eco de todo bem doado e entregue de volta.

Recíproco.

[ Gustavo Lacombe ]

“O Amor é Para os Raros”, meu segundo livro, pode ser adquirido aqui: http://bit.ly/AmorParaRaros

Imagem

O Negócio é Amar

Tem gente que ama, ama tanto, que o Amor que transborda acaba entornando. A briga é inevitável; por ciúme ou deslize. Abre-se uma ferida, mas é esse mesmo Amor que encerra a crise. Há os que escrevam e coloquem pra fora. Compõem versos, poemas, rimas e prosa. Até quem não se dá bem com o português acaba se tornando poeta – nem que seja uma única vez. Tem uns meio malucos que adoram sofrer. Abrem mão do amado, de ser feliz e viver. Porém, são esses que entendem que o sentimento não é prisão, são asas livres pra tirar quem se ama do chão. Por aí se encontra quem julga saber de tudo, mas não percebem que seremos eternos aprendizes no Mundo. Quem puder definir para todos o que é o Amor, certamente vai deixar escapar um detalhe, uma flor. Conheço histórias de quem desistiu, mas logo depois encontrou abrigo pro frio. E quantos casais dizendo que “nunca mais!” mal conseguiram um dia em paz!? Há quem faça de amar uma operação. Aplica bolsa, investe na especulação. Cria expectativa sem parar pra pensar que não adianta prever, o negócio é amar. Tem gente que ama o que já passou. E acham que essa saudade o sinônimo de Amor. Os arrependidos, os desesperados, os que se entregam, os que acham fácil. Tem de todos os tipos, tamanhos e rostos. Amor é de pele, de olhar e de gosto. Aos que fecham seus corações, meu profundo pesar. É como ter um guarda chuva na tempestade e querer se molhar. Não há proteção ao expulsar um novo alguém. É dar margem a decepção que não deveria ir além. Quem te machucou, eu garanto, ainda está aprendendo. Mais cedo ou mais tarde vai se dar conta do erro. Aos apaixonados e que estão contentes, vai meu muito obrigado pela inspiração recorrente. Acho que já aprendemos que nada nos fará escapar da morte. Então, que pelo menos de amar em Vida nós tenhamos sorte.

[ Gustavo Lacombe ]

“Destino, Acaso ou Algo Mais Forte”, meu segundo livro, pode ser comprado aqui: www.bit.ly/oAmorÉParaOsRaros

Imagem

Ela pode se cansar de você

Eu sei que você sabe que um dia ela pode se cansar de você e não voltar mais. Ou, melhor, ela pode enjoar desse seu jogo de fazer falta propositalmente para, enfim, deixar de sentir falta. Não que duvide do que você sente, mas apenas por estar vivendo o replay de uma vida sem graça em que tudo que ela te dá se perde. E aí, fica a pergunta:

Qual o nome disso que você acha que carrega?

Fica difícil decifrar teus passos, entende? Ela te vê procurando num dia, sumindo no outro, reaparecendo mais pra frente e ignorando as mensagens um tempo depois. É estranho. Não bate com tudo isso que você diz aos amigos que perturba o teu peito. Até porque, a gente sabe que o Amor causa um zumbido insistente no ouvido pedindo pela presença do ser amado.

Você a deixa solta. Você fica repetindo a história da borboleta sem entender que o jardim continua exalando perfume, independente da presença dela. Ao contrário, seu perfume só se faz presente quando você quer. Fica lá a borboleta/moça, tentando voar de volta para o jardim sem encontrá-lo. Asas cansadas de um ser que, mais cedo ou mais tarde, encontrará outro lugar para pousar.

Eu não posso dizer que você está certo ou errado. Acho que levamos nossas relações da melhor maneira para nós mesmos. O problema é que costumamos esquecer que uma relação é feita a dois. O Amor não dá espaço para o egoísmo. Ao contrário, ele dá sem nem ao menos exigir o troco, a volta, a recíproca que já falei aqui. Você tem certeza do que sente, né?

Ela também tem.

Ela pega o celular ansiando sua ligação, ela escreve uma mensagem querendo sua resposta e comumente ela passeia por lugares desejando estar contigo. E onde está você quando a ligação não vem, a mensagem não chega e os encontros são constantemente adiados? Quais as justificativas de hoje? Quantas vezes ela vai ter que se abraçar para espantar o frio ou não te ter ao lado pra dizer ao vivo que a ama?

Uma hora as desculpas não colam, as mensagens que aparecem não alimentam um sentimento, o olho no olho se torna frio. O que era gostoso passa a ser sem sal e todo o sentido se esvai. Deseja-se bem mais estar sozinho do que acompanhado. Mal acompanhado. Aí, com a alma carregada das decepções que se viveu e as expectativas que se criou, ela partirá.

Ela pode cansar de você.
E a culpa é toda sua.

[ Gustavo Lacombe ]

“O Amor é Para os Raros”, meu segundo livro, pode ser reservado pelo link: http://bit.ly/AmorParaRaros

Imagem

Todo Esse Querer Guardado Em Mim

Confesso que às vezes fico viajando quando te escrevo “quero você”. Porque é algo meio egoísta querer para si alguém. É preciso saber dividir, sabe!? Você tem amigos, família e afazeres. Não pode me dar a atenção que eu desejaria ter. E acho que esse aprendizado é que torna interessante um relacionamento. Acho que medimos o quanto queremos alguém com o tanto que aguentamos ficar longe.

Parece meio maluco, mas acho que funciona. Por exemplo, todo esse querer guardado em mim bate de repente num dia em que estou trabalhando e, DO NADA, você aparece na minha cabeça. Como se um botãozinho ligasse em mim toda a saudade represada e, sem mais nem menos, quero pegar o carro e ir atrás de você.

Sinto a falta dos teus olhos quentes nos meus.

E sei que te quero me olhando com vergonha, sem conseguir me encarar e dizendo que estou te intimidando. Quero tua mão segurando a minha nuca e fazendo carinho no meu cabelo. Quero teu sorriso, um dos mais lindos que já vi, se abrindo ao me ver chegar pertinho e se preparar para o beijo. Quero todos esses beijos que te mando em pensamento.

Desculpa os exageros. Aprendi a ser assim com Cazuza e você sabe que tenho tendências megalomaníacas. Toda falta mata, todo carinho arrepia, todo dia é único, todo momento é ouro. E deve ser uma mania que peguei de me entregar e dizer o que tô sentindo sem me importar. Eu sinto e sei que você me faz sentir mais ainda.

Eu quero te roubar pra mim. Te guardar num potinho. Te proteger, cuidar de você, te guiar. Porém, também sei, meu bem, que todo esse zelo pode acabar fazendo mal. Tudo isso que trago em mim não pode, não deve e tentarei não deixar que se transforme em posse. Acho que nenhuma relação pode se tornar apenas um querendo aprisionar o outro.

Devemos ter a liberdade de querer ficar.

E, sem pestanejar, eu vou escolhendo ficar nos teus braços, ficar com o gosto do teu beijo na minha, com a sensação da tua mão percorrendo meu corpo, com o mundo inteiro de possibilidades de ser feliz ao teu lado, com tudo que tenho direito ao se tratar de nós dois. Todo esse querer guardado em mim é pra te dar.

Sem pensar duas vezes.

[ Gustavo Lacombe ]